• BVSP 121.113,93 pts +0,3%
  • USD R$ 5,6196 +0,0310
  • EUR R$ 6,7334 +0,0370
  • ABEV3 R$ 15,85 -0,13%
  • BBAS3 R$ 29,75 +0,37%
  • BBDC4 R$ 26,17 +1,43%
  • BRFS3 R$ 23,62 -2,80%
  • BRKM3 R$ 50,09 +3,24%
  • BRML3 R$ 9,8 +0,20%
  • BTOW3 R$ 68,22 +0,04%
  • CSAN3 R$ 90,81 -0,27%
  • ELET3 R$ 35,46 +3,68%
  • EMBR3 R$ 15,81 -0,94%
  • Petróleo US$ 63,62 +0,00%
  • Ouro US$ 1.807,30 +0,00%
  • Prata US$ 28,90 +0,00%
  • Platina US$ 1.208,10 +0,00%

Petrobras volta a subir sob gestão de Ivan Monteiro

Ivan Monteiro assumiu o cargo de presidente interino após Pedro Parente pedir demissão na última sexta-feira

São Paulo - As ações da Petrobras registravam fortes ganhos na tarde desta segunda-feira. Os papéis preferenciais subiam 8,11% e os ordinários 7%.

Na sexta-feira, as ações chegaram a cair 20%, após Pedro Parente comunicar sua demissão do cargo de presidente da estatal.

Ainda na sexta-feira, a Petrobras indicou Ivan Monteiro para substituir Parente, como presidente interino. Monteiro é o atual diretor executivo da Área Financeira e de Relacionamento com Investidores da estatal. Segundo a empresa, ele acumulará as duas funções.

Em relatório enviado, a Coinvalores afirmou que apesar do perfil técnico de Ivan Monteiro ainda há muitas dúvidas com relação a sua gestão, “sobretudo no que tange a autonomia.”

Já a Guide Investimentos afirmou que a escolha de Monteiro é bem visto pelo mercado, já que ele é dos principais responsáveis pela recuperação operacional da companhia, e de eficiência, da companhia.

Em relatório, a Guide Investimentos afirmou ainda que Monteiro é um dos responsáveis pela implementação da nova política de preços, além de contar com  resultados favoráveis em relação à redução do endividamento da estatal.

“O programa de venda de ativos ganhou tração desde a chegada de Monteiro, totalizando 13,6 bilhões de dólares no final de 2016, e 4,5 bilhões de dólares em 2017. Assim, a gestão de Monteiro na Petrobras deve ser de continuidade.”

Recomendação das ações

Sobre a recomendação das ações, a Guide Investimentos recomenda cautela, porque existe a possibilidade de interferência política na gestão da empresa, e novas alterações na fórmula da nova política de preços. “É algo que tende a pressionar os papéis no curto.”

A Coinvalores destaca que as ações da companhia tendem a manter a elevada volatilidade no curto prazo, dado a maior percepção de risco e as inúmeras incertezas na seara política.

Política de preços

Sobre a política de preços da Petrobras, uma matéria publicada pelo Valor Econômico, afirma que a nova gestão da companhia sob comando de Monteiro informou que aceita  rediscutir o reajuste diário da gasolina e alongar a periodicidade das mudanças de preços do combustível ao consumidor.

Entretanto, segundo fontes ouvidas pelo jornal, a estatal impõe duas condições para essa rediscussão: que a empresa não perca o lastro nos preços internacionais e que ela seja protegida contra a importação nos períodos em que a cotação do mercado externo estiver abaixo da vigente no Brasil.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.