• BVSP 118.811,74 pts +1,0%
  • USD R$ 5,7343 +0,0006
  • EUR R$ 6,8201 -0,0103
  • ABEV3 R$ 15,57 +1,37%
  • BBAS3 R$ 29,49 +1,03%
  • BBDC4 R$ 25,63 +1,71%
  • BRFS3 R$ 24,48 +2,00%
  • BRKM3 R$ 46,83 +7,98%
  • BRML3 R$ 9,82 -1,21%
  • BTOW3 R$ 63,1 +0,73%
  • CSAN3 R$ 89,85 +0,74%
  • ELET3 R$ 34,76 -1,95%
  • EMBR3 R$ 16 +0,25%
  • Petróleo US$ 63,21 +0,73%
  • Ouro US$ 1.732,50 -0,01%
  • Prata US$ 24,90 +0,26%
  • Platina US$ 1.173,40 -0,13%

Nasdaq cai, mas Dow Jones fecha no maior nível desde 9 de março

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,38%, aos 25.241,41 pontos, no maior nível desde 9 de março e o Nasdaq recuou 0,70%, aos 7.635,07 pontos

São Paulo - Os mercados acionários americanos chegaram ao fim do pregão desta quinta-feira, 7, sem direção única, com os investidores monitorando ações de tecnologia, que amargaram perdas em meio à possibilidade de maior regulação nos Estados Unidos e da aprovação de um projeto que limita a permanência de imigrantes no país.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,38%, aos 25.241,41 pontos, no maior nível desde 9 de março; o S&P 500 caiu 0,07%, aos 2.770,37 pontos; e o Nasdaq recuou 0,70%, aos 7.635,07 pontos. O subíndice de tecnologia do S&P 500 liderou as perdas do dia e cedeu 1,09%, aos 1.255,77 pontos.

Nos últimos dias, as bolsas em Nova York foram apoiadas pelas apostas dos investidores de economia mais forte em solo americano. O campo positivo teve um fator adicional nesta quinta-feira após o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, indicar que Washington e Pequim chegaram a um acordo que permitiria à empresa chinesa de telecomunicações ZTE fazer negócios novamente.

Para o estrategista-chefe de mercados da Wunderlich Securities, Art Hogan, "se pudermos obter boas notícias sobre o comércio, poderemos começar a nos concentrar nos fundamentos. Isso nos levará de volta a um mercado mais positivo e menos volátil".

As ações de energia lideraram os ganhos em Nova York, apoiadas pela alta nos preços do petróleo, à medida que os papéis acompanharam os preços do petróleo, que reagiram à expectativa de declínio na produção da Venezuela e do Irã. A Chevron subiu 2,90%, a ExxonMobil avançou 1,00% e a Chesapeake saltou 7,55%.

Entre as techs, o dia foi de realização de lucros recentes, levando o Nasdaq a enfrentar o primeiro dia de baixa em cinco pregões. Além de embolso de ganhos, influenciou o mercado o fato de o Congresso americano poder endurecer regras para imigrantes, o que pesaria nas gigantes do segmento. A Apple caiu 0,27%, a Amazon perdeu 0,38% e a Microsoft recuou 1,57%.

Além disso, alguns parlamentares querem investigar o Google pelo compartilhamento de dados com a empresa chinesa Huawei. As ações da Alphabet, controladora do site, terminaram em baixa de 1,09%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.