Mercado diz um sonoro “Não” para o novo governo espanhol

País precisou pagar mais que o dobro do juro em uma emissão de papéis de curto prazo

São Paulo – O novo governo espanhol eleito no domingo já levou o primeiro revés do mercado financeiro. O segundo, talvez, considerando que na segunda-feira a bolsa de Madri caiu mais de 3% e o juro dos títulos com vencimento em dez anos subiu para 6,406%. Os investidores deram mais um sonoro recado para o novo líder do país, Mariano Rajoy, nesta terça-feira.

O rendimento médio de uma venda de 3 bilhões de euros em títulos de 3 e 6 meses realizada hoje disparou. A Espanha precisou pagar mais que 5% na emissão de prazo mais curto ante aproximadamente 2,3% na operação realizada no mês passado. O juro para os papéis de seis meses subiu de 3,3% para acima de 5%.

A resposta dos investidores é um aviso para um governo que ainda não anunciou novas medidas de austeridade fiscal ou para promover o crescimento econômico. O nível do juro pago pelos títulos de 10 anos da Espanha já está muito próximo do patamar da Itália. A diferença nesta terça-feira é de apenas 110 pontos-base.