IPO da Estapar será termômetro do apetite dos investidores por ações

Para analistas da Guide, dependendo do resultado, poderá servir como incentivo para que outras companhias façam suas ofertas mesmo com a crise atual

A Allpark, dona da rede de estacionamentos Estapar, não está parada. Na quarta-feira, mesmo dia em que o governador de São Paulo, João Doria, anunciou medidas de flexibilização do isolamento social, a companhia divulgou que dará continuidade ao processo de oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa brasileira. Nesta quinta, começaram as conversas com investidores.

Para os analistas da Guide Investimentos, em relatório distribuído a clientes, a oferta será um bom termômetro do apetite ao risco do mercado e, dependendo do resultado, poderá servir como incentivo para que outras companhias também realizem suas ofertas mesmo com a crise atual. É o primeiro IPO depois do início da pandemia do coronavírus no Brasil.

Os analistas calculam que a oferta deve girar em torno de 350 milhões de reais. Mas, usando o ponto médio da faixa de preço indicativa por ação ordinária que vai de 10,50 reais a 13 reais, o valor chega a 314 milhões de reais, sem considerar o lote suplementar e ações adicionais. O valor deverá ser conhecido no dia 13 de maio.

Os papéis começarão a ser negociados no segmento do Novo Mercado da B3 no dia 15 com o código ALPK3. Os bancos coordenadores da oferta são BTG Pactual, que é acionista da empresa, Bradesco BBI, Santander e BB Banco de Investimento.

  • Exame Research — 30 dias grátis da melhor análise de investimentos

O dinheiro levantado será utilizado para financiar parte dos investimentos, de cerca de 600 milhões de reais, da concessão por 15 anos da zona azul em São Paulo. O restante – cerca de 300 milhões de reais – virá de crédito bancário. 

De acordo com estudos da consultoria McKinsey, o tamanho de mercado do setor de estacionamentos no Brasil é de aproximadamente 15,7 bilhões de reais em termos de receita bruta, conforme aparece no prospecto da oferta. “Dado que possuímos cerca de 8% de market share no Brasil, acreditamos possuir grandes oportunidades de crescimento em todos os segmentos abaixo”, escreve a companhia no documento.

Coronavírus

Até a primeira quinzena de abril, das 644 operações de off-street (fora de vias e logradouros públicos), 195 encontram-se totalmente fechadas, 178 em funcionamento parcial e 271 abertas, mas praticamente todas as operações com queda substancial de receita diante da queda significativa do volume de veículos nos nossos estacionamentos.

No que se refere aos estacionamentos on-street (em vias e logradouros públicos), até a primeira quinzena de abril das 23 operações, 18 estão suspensas e 5 continuam operando normalmente, sendo estas últimas com queda substancial de receita diante da redução significativa do volume de veículos em circulação.

“Monitoramos diariamente o faturamento de nossas operações, sendo possível visualizar o impacto ocorrido em nossas atividades após o efeito da covid-19. Nos primeiros 14 dias do mês de abril de 2020 em comparação ao mesmo período de março de 2020, tivemos uma queda de aproximadamente 80% em nosso faturamento”, escreve a companhia.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.