Índices europeus fecham no vermelho pela 2ª semana seguida

As bolsas de valores da Europa encerraram a segunda semana consecutiva de perdas nesta sexta-feira, após dados sobre o emprego nos Estados Unidos não conseguirem satisfazer as expectativas do mercado, enquanto os conflitos na Líbia elevavam os preços do petróleo.

O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 <.FTEU3> fechou em baixa de 0,7 por cento, aos 1.147 pontos, com queda acumulada de 1 por cento na semana. O índice chegou a subir neste pregão, alcançando a máxima de 1.163 pontos.

Dados fortes sobre o emprego no setor privado dos EUA, divulgados na quarta-feira, alimentaram expectativas do mercado por um relatório igualmente surpreendente sobre o total de postos de trabalho no país, mas os índices recuaram diante de números dentro do previsto.

“Um número de 196 mil a 200 mil parece ter sido precificado e nós caímos um pouco. Embora a economia dos EUA realmente pareça estar melhorando, o número foi ligeiramente menor que o antecipado”, disse Manoj Ladwa, operador sênior da ETX Capital.

Dados sobre a indústria norte-americana também foram fortes, mas em linha com as estimativas, disse outro operador de Londres, dando mais uma razão para realizar lucros antes do fim de semana, enquanto o conflito na Líbia se intensificava e levava o petróleo de volta à máxima em dois anos e meio.

Entre os maiores declínios, destacaram-se as ações doCarrefour .

Em LONDRES, o índice Financial Times <.FTSE> fechou em baixa de 0,24 por cento, a 5.990 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX <.GDAX> caiu 0,65 por cento, para 7.178 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 <.FCHI> perdeu 1 por cento, para 4.020 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib <.FTMIB> teve desvalorização de 0,07 por cento, para 22.138 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 <.IBEX> retrocedeu 0,65 por cento, para 10.498 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 <.PSI20> encerrou em queda de 0,57 por cento, para 7.902 pontos.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.