Ibovespa: Usiminas dispara 11,8% e tem a maior alta da semana

Setor imobiliário segue em trajetória de queda com o aumento do juro básico da economia

table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

São Paulo – Apesar da intensificação dos conflitos na Líbia, o Ibovespa – principal índice de ações da bolsa brasileira – encerrou a semana em alta de 1,66%, aos 68.012 pontos. Nos EUA, a referência do mercado americano, o índice Dow Jones, subiu 0,33%, para 12.169 pontos. Ainda no Brasil, o índice SMLL, que mede o desempenho das empresas de baixa capitalização de mercado, avançou 2,21%, para 1.343 pontos.

“A alta do preço do petróleo é, neste momento, o principal risco para o crescimento americano e europeu que estão mostrando sinais mais claros de recuperação”, afirma a equipe de análise da Link Investimentos, em relatório. O desempenho do índice na primeira semana de março também foi impulsionado pela alta das ações da Petrobras. Os papéis da petrolífera subiram na esteira do aumento do preço do petróleo.

O destaque desta semana ficou com as ações da Usiminas. Os papéis preferenciais de classe A da empresa subiram 11,83%, para 20,80 reais. Já as ações ordinárias avançaram 7,36%, negociadas a 28,02 reais. O desempenho é uma recuperação ante ao efeito negativo que o resultado do último trimestre de 2010 teve sobre as ações na semana passada. As preferenciais tinham recuado 11,5% e as ordinárias 1,4%.

“Os resultados foram muito negativos, e o tom da administração na teleconferência não foi otimista”, escreveram os analistas Felipe Reis, Alex Sciacio e Victoria Santaella, do Santander, em relatório publicado na ocasião dos resultados. O lucro líquido da empresa ficou em 413 milhões de reais no quarto trimestre de 2010, uma queda de 38% na comparação com o mesmo período de 2009.

“O controle de custos nas duas divisões da Usiminas, siderurgia e mineração, foi decepcionante. A margem Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de siderurgia, por exemplo, atingiu 4% e as margens brutas negativas nessa divisão também ficaram bem abaixo do que esperávamos”, disse Jonathan Brandt, analista do HSBC.

Empresa Código Preço (R$) Var. sem (%) Var. ano (%)
Cyrela CYRE3 15,9 -6,47 -27,23
Klabin KLBN4 5,93 -4,66 1,37
MRV MRVE3 13,4 -3,94 -14,16
Duratex DTEX3 15,96 -3,27 -10,26
Telemar TNLP3 33,8 -2,93 4,64
PortX PRTX3 3,93 5,65 5,93
OGX OGXP3 20,25 6,58 1,25
Cemig CMIG4 28,87 7,32 8,09
Usiminas USIM3 28,02 7,36 31,24
Usiminas USIM5 20,8 11,83 8,56

As ações das construtoras ocuparam mais uma vez o lado negativo do Ibovespa. Os papéis da Cyrela (CYRE3) recuaram 6,47%, negociadas a 15,90 reais. No ano, a queda já acumula 27,23%. A MRV também teve um desempenho ruim. As ações da empresa caíram 3,94% e já têm uma baixa de 14,16% em 2011. O Imob, índice que acompanha os papéis das empresas do setor, caiu 0,5% na semana. No ano, a desvalorização chega a 13,07%.

A queda é decorrente do anúncio feito pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, no qual o governo confirmou o bloqueio de 5,1 bilhões de reais do orçamento do programa Minha Casa Minha Vida. Com este corte, o montante de 12,7 bilhões de reais direcionados para investimentos em 2011 foi reduzido para 7,6 bilhões.

A redução no montante destinado ao programa Minha Casa Minha Vida, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tem origem no corte de 50 bilhões de reais no Orçamento do governo, anunciado no início do mês.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.