Ibovespa fecha perto da estabilidade em dia de realização de lucros

Índice supera maior patamar desde o início da pandemia, mas perde força ao longo do pregão com Vale, B3 e Magalu

Principal índice de ações da bolsa brasileira, o Ibovespa fechou perto da estabilidade, nesta terça-feira, 21, com parte dos investidores realizando lucros de curto prazo. Impulsionado pela aprovação do pacote de estímulo europeu de 750 bilhões de euros, o índice abriu em forte alta, superando os 105.000 pela primeira vez desde o início da pandemia, mas perdeu força. O Ibovespa caiu 0,11% e encerrou em 104.309,74 pontos.

“Muita gente estava com um bom lucro e está aproveitando para realizar. Isso é visível, principalmente, quando olha para algumas ações, como Vale e Cogna, que estavam subindo bem e passaram a cair”, afirmou Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus.

Na bolsa, a queda do índice foi puxada pelas ações da Vale, B3 e Magazine Luiza, que tiveram respectivas quedas de 1,84%, 1,88% e 3,1%. “Já há muito incômodo com os preços”, comentou Bruno Lima, analista de renda variável da EXAME Research.

Para Gustavo Bertotti, economista da Messem, o próprio 105.000 pontos serviu de barreira psicológica para os investidores. “O Ibovespa vinha acompanhando altas significativas de lá de fora, com notícias sobre vacina. O tom mais positivo se manteve com a aprovação do pacote europeu, mas em alguns papéis teve um pouco de realização de lucro.”

Apesar da queda da bolsa local, no exterior, o clima foi positivo, em especial na Europa, onde os investidores repercutiram a aprovação do pacote de estímulo de 750 bilhões de euros para a recuperação econômica no pós-pandemia. Após longas conversas, foi acordado que, dos 750 bilhões de euros, 360 bilhões de euros serão emprestados e 390 bilhões de euros serão repassados como forma de doação — abaixo dos 500 bilhões de euros propostos inicialmente. O pacote ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento Europeu, mas não deve haver dificuldade. Por lá, o índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,5%.

Nos Estados Unidos, os principais índices acionários encerraram de forma mista, com o S&P 500 subindo 0,17% e o Nasdaq, que vinha de mais um recorde nominal, caiu 0,8%.

Na bolsa, as ações ordinárias da Petrobras subiram 2,77% e as preferenciais, 2,08%, impedindo que o Ibovespa tivesse maiores perdas. Estiveram como pano de fundo para a alta a valorização do petróleo no exterior e a venda da participação na TAG. “Isso é bem positivo para a Petrobras. Mostra que a agenda de desinvestimentos segue ativa”, afirma relatório da EXAME Research.

Já as ações da Via Varejo chegaram a abrir em alta de mais de 4%, com confirmação da veracidade das informações operacionais postadas equivocadamente em sua conta do Twitter, mas encerraram em queda de 2,6%, após a CVM abrir processo sobre o caso. Na véspera, a empresa havia informado que as vendas online de games e câmeras tiveram alta de mais de 2.500%, fazendo suas ações subirem mais de 7%.

Na ponta negativa do índice, as ações da Qualicorp caíram 6,5%, após o fundador da companhia, José Seripieri Filho, o ‘Júnior’ser preso em operação da Lava-Jato que investiga irregularidades na campanha de José Serra de 2014, quando foi eleito senador pelo estado de São Paulo.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.