Ibovespa fecha em queda puxado por Vale, Petrobras e financeiras

Contração de 32,9% do PIB dos Estados Unidos evidencia estragos econômicos da pandemia e impõe cautela

A bolsa brasileira fechou em queda, nesta quinta-feira, 30, após o PIB dos EUA ter contração de 32,9% no segundo trimestre e o da Alemanha, de 10,1%. O Ibovespa, principal índice da B3, caiu 0,56% e encerrou em 105.008,70 pontos.

Embora o PIB americano tenha ficado levemente melhor do que consenso de mercado, que era de queda de 34,1%, o resultado superou as estimativas do Federal Reserve (Fed) de Atlanta, de contração de 32,1%. “É um resultado de retrovisor, mas que será efetivamente utilizado para a construção de indicadores que suportem decisões de política monetária e fiscal”, comentou Arthur Mota, economista da Exame Research.

Na quarta-feira, 29, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que continuará usando todas as ferramentas para atenuar os impactos econômicos do coronavírus e que só irá parar quando tiver confiança de que a economia americana está de volta aos trilhos.

No entanto, isso parece longe de acontecer. Nesta manhã, também foram divulgados os dados semanais de pedidos de seguro desemprego dos EUA, que ficaram em 1,434 milhão, quase em linha com os 1,450 milhão esperado pelo mercado. “O número continua em patamar elevado. Outros indicadores de alta frequência também apontam essa acomodação do ritmo de recuperação em julho, como confirmado na reunião do Fed de ontem”, comentou Mota.

Na bolsa, as ações com maior peso no Ibovespa, como as da Vale, Petrobras e do setor financeiro, pressionaram o índice para baixo na maior parte do dia.

Às vésperas da divulgação do balanço, que ocorrerá nesta noite, os papéis da ordinários da Petrobras caíram 2,14% e os preferenciais, 1,6%, em linha com a desvalorização do petróleo no mercado internacional.

Entre as financeiras, as ações preferenciais do Bradesco chegaram liderar as perdas do Ibovespa nos primeiros minutos de pregão e fecharam em queda de 3,5%, enquanto as ordinárias caíram 2,54%, após o banco apresentar redução do lucro líquido contábil de 42% no segundo trimestre. Banco do Brasil e o Itaú, recuaram 3,2% e 1,7% respectivamente.

As ações da Vale também se mantiveram no campo negativo por todo o pregão, após a divulgação do balanço do segundo trimestre, e fecharam em queda de 2,67%. No período, a companhia teve lucro líquido atribuído aos acionistas de 5,3 bilhões de reais e lucro operacional de 11,1 bilhões de reais. A companhia também anunciou a retomada do pagamento de dividendos.

No extremo positivo, as ações da Localiza lideraram as altas do Ibovespa, subindo 10,85%, após ter lucro líquido de 89,9 milhões de reais no segundo trimestre, superando o consenso de mercado, que era de prejuízo de 38,9 milhões de reais. “O resultado foi mais forte que o esperado. O setor de aluguel não foi tão impactado quanto se imaginava e a empresa dá a entender que suas operações estão quase normalizadas nessa divisão. A primeira impressão é positiva, embora o endividamento crescente inspire cautela”, afirmam analistas da Exame Research.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.