Confira as ações do Ibovespa que mais subiram e as que mais caíram em maio

O Ibovespa encerrou o mês com alta de 8,57%, no melhor desempenho desde 2009. Parte da explicação é o otimismo dos investidores com ativos de risco

O Ibovespa encerrou maio com alta de 8,57%, no melhor desempenho para o mês desde 2009. O resultado positivo vem em linha com o maior otimismo dos investidores com ativos de risco, em um momento que países dão início à reabertura de suas economias. Isso aliado aos trilhões de dólares injetados nos mercados e do corte das taxas básicas de juros representam um incentivo a mais para investimentos em ações.

No Brasil, o comitê de política monetária cortou a Selic no início do mês em 0,75 ponto percentual para 3% ao ano – menor patamar da história -, o que aumenta o interesse dos brasileiros pela bolsa de valores. Isso ajuda a explicar por que, mesmo em meio a uma crise econômica que derrubou o produto interno bruto do país em 1,5% no primeiro trimestre, o número de investidores na B3 só cresce. Até o final de abril, eram 2,4 milhões de CPFs cadastrados, nível mais alto já alcançado.

Entre as ações que se destacaram no mês – principalmente por causa do isolamento social – estão as varejistas Via Varejo (com alta de 34,97%), Magazine Luiza (27,29%) e B2W (23,62%). Também tiveram bom desempenho em maio as empresas diretamente ligadas a exportações, que se beneficiaram da valorização do dólar no país. É o caso da Usiminas (27,29%) e Gerdau (19,81%). Outro segmento que chamou atenção foi o de concessionárias de rodovias, já que alguns municípios começaram a adotar medidas de flexibilização da quarentena. Nesse sentido, há expectativa de que mais veículos circulem em estradas do país, daí a alta da Ecorodovias (23,74%) e da CCR (19,43%).

Empresa Ticker Desempenho no mês
Via Varejo VVAR3 34,97%
Sabesp SBSP3 34,63%
Braskem BRKM5 30,56%
Magazine Luiza MGLU3 30,18%
Usiminas USIM5 27,29%
Ecorodovias ECOR3 23,74%
B2W Digital BTOW3 23,62%
Gerdau GGBR4 19,81%
CCR CCRO3 19,43%
B3 B3SA3 18,71%

Mas nem todas as empresas tiveram bom desempenho no mês. É o caso de companhias do setor aéreo – que vive um momento desafiador com a queda do número de viagens por causa da pandemia do novo coronavírus. É bom lembrar que, neste mês, a Latam entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos (sem que a operação brasileira tenha sido afetada), o que atesta o quadro bastante delicado. Nesse sentido, a Azul aparece como uma das ações que mais caíram em maio, assim como a fabricante Embraer – que no fim de abril viu a sua parceria com a Boeing ir pelos ares.

Mas a empresa que teve o pior desempenho é a resseguradora IRB Brasil que tenta se desvencilhar de um imbróglio em sua gestão. A Comissão de Valores Mobiliários abriu nesta semana dois inquéritos para investigar possíveis irregularidades que levaram à forte queda das ações e à saída dos principais executivos neste ano. Um deles vai averiguar a “suposta disseminação seletiva de informações a investidores e à possível propagação de informações inverídicas acerca da composição de seu capital social”.

 

Empresa Ticker Desempenho no mês
IRB Brasil IRBR3 -20,94%
Azul AZUL4 -17,93%
Embraer EMBR3 -14,10%
Cia Hering HGTX3 -10,70%
Carrefour CRFB3 -9,15%
JBS JBSS3 -7,93%
Qualicorp QUAL3 -7,51%
Cogna Educação COGN3 -6,68%
Yduqs YDUQ3 -6,10%
Pão de Açúcar PCAR3 -5,79%

 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.