CBS desaba 7% com denúncias de assédio contra presidente

As acusações são de casos de assédio que aconteceram há mais de 20 anos, como denúncias de assédio que ocorreram recentemente

São Paulo – As ações da rede americana CBS desvalorizaram 7% na tarde desta sexta-feira. O motivo é uma reportagem que será publicada ainda hoje pela revista The New Yorker que acusa o presidente da companhia, Leslie Moonves, de assédio sexual.

Segundo o Hollywood Reporter, as acusações são de casos de assédio que aconteceram há mais de 20 anos, como denúncias de assédio que ocorreram recentemente.

Quem assina a reportagem da The New Yorker é Ronan Farrow. O jornalista esteve por trás dos maiores escândalos de Hollywood nos últimos anos, as denúncias de assédio contra o produtor Harvey Weinstein.

As acusações divulgadas por ele na New Yorker desencadearam o movimento #MeToo, no qual centenas de mulheres acusaram publicamente poderosos empresários, políticos e personalidades da indústria do entretenimento de assédio sexual.

De acordo com a imprensa americana, os boatos sobre a investigação de Leslie Moonves estaria rolando nos bastidores das televisões americanas há algum tempo, mas como nada tinha sido publicado algumas pessoas começaram a ficar céticas sobre isso.

Procurada pela imprensa, a revista The New Yorker afirmou que não comenta sobre o assunto antes da publicação da reportagem.

Já a CBS disse se comprometerá em investigar as acusações e que este tipo de comportamento violam as políticas claras da empresa.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.