Bovespa: cautela de estrangeiro mantém índice quase estável

São Paulo – O principal índice das ações brasileiras operava quase estável nesta quinta-feira, em sintonia com a falta de tendência no mercado internacional.

Às 12h33, o Ibovespa <.BVSP> tinha variação positiva de 0,13 por cento, a 66.775 pontos. O giro financeiro do pregão era de 1,39 bilhão de reais.

No mesmo horário, os principais índices dos Estados Unidos exibiam leve queda, com dificuldades para romper as resistências técnicas após alcançarem os maiores níveis em cerca de dois anos e meio nos últimos dias.

Os dados divulgados mais cedo, sobre auxílio-desemprego [ID:nN03248162] e produtividade nos EUA [ID:nN03248416], não deram uma tendência ao mercado internacional. A agenda do dia ainda tem números sobre indústria (13h) e o discurso do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke (15h30).

O mercado local tem ficado para trás em relação aos Estados Unidos nas últimas semanas, com a saída de investidores estrangeiros desde a metade de janeiro.

O JPMorgan, por exemplo, recomenda o investimento em mercados desenvolvidos, e não em emergentes, devido, entre outros motivos, a “1) diferencial menor de crescimento, como sugerido pelos dados de produção industrial; 2) inflação maior e risco de aperto monetário nos países emergentes; 3) intensificação da intervenção cambial.”

Ações de construtoras e de siderúrgicas se destacavam na Bovespa, com alta de 2,64 por cento da Cyrela , a 18,63 reais, e de 0,72 por cento da CSN , a 28,10 reais.

Na outra ponta, as ações da Gol caíam 2,73 por cento, a 22,83 reais. Em comunicado, a companhia informou que o fundo BlackRock reduziu o investimento nas ações da empresa.

A empresa de cartões Redecard , que divulgou queda de 13,4 por cento dos lucros no quarto trimestre, caía 1,61 por cento, para 18,99 reais. [ID:nN03197167]

“As ações da empresa já vêm respondendo negativamente a estes resultados mais fracos e à perspectiva de entrada de novos players do mercado nos últimos meses”, afirmou a analista Luciana Leocádio, da corretora Ativa, em nota.

Santander Brasil , que revelou alta de 20,5 por cento do lucro líquido no último trimestre do ano passado, também caía, com variação negativa de 1,73 por cento, a 18,75 reais.

Investidores consideraram o resultado “fraco” e ressaltam que a perspectiva para o papel é ruim com a cautela dos investidores não-residentes: “os locais em geral nunca foram muito fãs do papel, os estrangeiros que sempre sustentaram o valor da ação”, afirmou o analista de um banco.

Fora do índice, as ações da Sonae Sierra estreavam com queda de 1,10 por cento, a 19,78 reais, após uma oferta inicial de ações (IPO) com fraca demanda.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.