Bolsas de NY recuam antes de dados de emprego

Por Regina Cardeal

Nova York – Apesar da forte queda nos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, anunciada na manhã de hoje, as bolsas norte-americanas abriram o dia em baixa, em meio a balanços corporativos mistos e à violência no Egito, que mantém o barril de petróleo acima de US$ 91 em Nova York. A expectativa com os dados sobre o mercado de trabalho (payroll) em janeiro, que saem amanhã, também reforça a cautela dos investidores. Às 12h36 (horário de Brasília), o índice Dow Jones recuava 0,08%, o Nasdaq cedia 0,01% e o S&P-500 recuava 0,06%. Ontem, o Dow Jones fechou praticamente estável, mantendo-se pouco acima do nível psicologicamente importante de 12 mil pontos.

O Departamento do Trabalho dos EUA informou hoje que o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego recuou 42 mil na semana, para 415 mil. Economistas esperavam queda de 31 mil. O número de pedidos da semana anterior, que havia sido distorcido pelo mau tempo, foi revisado para 457 mil, ante os 454 mil informados anteriormente.

No campo corporativo, a farmacêutica Merck anunciou que teve prejuízo no quarto trimestre do ano passado, com os encargos relacionados à fusão com a Schering-Plough e itens contábeis mascarando o crescimento da receita. Por outro lado, o lucro da Dow Chemical no mesmo período quase triplicou, segundo informou hoje a empresa. As informações são da Dow Jones.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.