Bolsas de Nova York fecham em alta com dados positivos

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta, ganhando força na última hora do pregão após terem passado boa parte do dia praticamente estáveis. Dados positivos sobre o setor de varejo e o mercado de trabalho do país contribuíram para o avanço, mas os investidores continuam cautelosos, à espera da divulgação de dados sobre o nível de emprego, na sexta-feira, e diante das tensões no Egito.

“No momento, as pessoas estão hesitando em negociar ou fazer qualquer outra coisa” por causa dos dados sobre emprego na sexta-feira, disse Doug Roberts, estrategista-chefe de mercado da Channel Capital Research. Economistas acreditam que os indicadores de amanhã mostrarão que a taxa de desemprego dos EUA cresceu 0,1 ponto porcentual, para 9,5%, e que a economia dos EUA gerou 136 mil vagas em janeiro.

No início da sessão, os investidores estavam preocupados com os confrontos entre simpatizantes e opositores do presidente do Egito, Hosni Mubarak. Posteriormente, no entanto, “a sensação de urgência e o medo abandonaram o mercado”, disse Jay Wong, diretor e gerente de carteiras de investimento da Payden & Rygel. Segundo ele, apesar das cenas de caos na capital egípcia, os investidores estão acostumando com a perspectiva de um novo governo do Egito e de que o pior cenário possível para o país não se concretizará.

O Dow Jones subiu 20,29 pontos, ou 0,17%, para 12.062,26 pontos. A Merck impediu um avanço mais acentuado do índice, caindo 2,72% depois de divulgar que obteve prejuízo de US$ 531 milhões no quarto trimestre, em comparação a um lucro de US$ 6,5 bilhões em igual período do ano anterior. O Nasdaq teve alta de 4,32 pontos, ou 0,16%, para 2.753,88 pontos. O S&P 500 avançou 3,07 pontos, ou 0,24%, para 1.307,10 pontos.

As varejistas estavam entre os destaques do dia, após divulgarem que registraram aumento de 4,2% nas vendas de janeiro em comparação a igual período do ano passado. Analistas esperavam um avanço de 2,7%. A Limited Brands, que divulgou um crescimento de 24% nas vendas nessa base de comparação, fechou em alta de 7,42%.

“O pano de fundo da economia dos EUA ainda é de melhora e a maior parte dos indicadores econômicos confirmam isso, tanto em termos de vendas no varejo quanto em relação ao Produto Interno Bruto (PIB)”, disse Jason Pride, diretor de estratégias de investimento da Glenmede Investment and Wealth Management.

Fora do âmbito dos indicadores, o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, disse durante um discurso que a recuperação da economia dos EUA deve ganhar força neste ano, mas ainda precisará do estímulo monetário do banco central por causa do nível elevado de desemprego e da baixa inflação. As informações são da Dow Jones.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.