Ações europeias sobem 1,5% perto de fim de prazo na Grécia

Papéis de bancos, que seguram boa parte da dívida grega, estiveram entre as melhores performances de hoje

Rio de Janeiro – Ações europeias estiveram em rali nesta quinta-feira, revertendo metade das perdas sofridas no início da semana, com a Grécia mais perto de obter um acordo de swap de títulos com credores privados, evitando um calote desordenado que teria fortes efeitos em toda a zona do euro.

O índice FTSEurofirst 300, das maiores ações da Europa, fechou com alta de 1,5 por cento, a 1.074 pontos. Papéis de bancos, que seguram boa parte da dívida grega, estiveram entre as melhores performances, com o Deutsche Bank tendo alta de 4,4 por cento, o Societé Générale avançando 3,7 por cento e o Credit Agricole tendo oscilação positiva de 2,9 por cento. “Mais de metade dos credores já concordaram com a troca de dívida.

Aproximando-se da grande decisão, nós estamos preparando uma lista de ações que voltaram a níveis atraentes”, disse Franklin Pichard, diretor no Barclays France. Investidores donos de pelo menos 61 por cento do total de 206 bilhões de dólares da dívida já aceitaram o acordo bem antes do prazo, enquanto alguns veículos de comunicação gregos citaram dados mais otimistas.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 1,18 por cento, a 5.859 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 2,45 por cento, para 6.834 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 2,54 por cento, para 3.478 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,62 por cento, para 16.664 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 1,78 por cento, para 8.307 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta de 1,04 por cento, para 5.596 pontos.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.