• BVSP 121.800,79 pts -3,1%
  • USD R$ 5,2089 +0,0000
  • EUR R$ 6,1881 +0,0000
  • ABEV3 R$ 16,63 -2,92%
  • BBAS3 R$ 31,69 -2,13%
  • BBDC4 R$ 24,26 -1,66%
  • BRFS3 R$ 25,63 -1,69%
  • BRKM3 R$ 58 -2,29%
  • BRML3 R$ 10,12 -3,07%
  • CSAN3 R$ 25,66 -2,99%
  • ELET3 R$ 40,54 -4,14%
  • EMBR3 R$ 18,57 -4,38%
  • Petróleo US$ 68,22 +0,00%
  • Ouro US$ 1.820,80 +0,00%
  • Prata US$ 25,55 +0,00%
  • Platina US$ 1.047,70 +0,00%

Preços de imóveis sobem 1% em agosto

Valorização dos preços, medida pelo índice FipeZap, é a mesma de julho e junho

São Paulo – No mês de agosto, os preços dos imóveis brasileiros tiveram alta de 1,0%, a mesma variação registrada em julho e junho. A valorização, ainda que tímida, supera o rendimento da poupança e da maioria das aplicações em renda fixa no mês. São Paulo e Fortaleza tiveram as maiores altas. E apenas Belo Horizonte apresentou desvalorização nos preços. Os dados são do Índice FipeZap, que divulga mensalmente os preços dos imóveis em seis capitais brasileiras e no Distrito Federal. 

São Paulo e Fortaleza tiveram as maiores altas do índice, ambas registraram elevação de 1,4% nos preços. Na capital paulista, o aumento é ligeiramente superior ao do mês de julho, quando os preços subiram 1,3%. E em Fortaleza a alta de 1,4% em agosto representa uma desaceleração em relação ao mês de julho, que teve alta de 3,4%. No Rio de Janeiro, a alta foi de 1,2%, levemente maior do que a variação de julho. E em Salvador os preços subiram 1,1%, aumento menor do que o registrado em julho, quando os preços tiveram elevação de 1,8%. 

Belo Horizonte foi a única cidade onde os preços caíram, com uma queda de 0,2% nos preços. E em Recife e no Distrito Federal os preços tiveram uma pequena alta, de 0,2%. Nas três cidades, a variação fica abaixo do esperado pelo mercado para o IPCA, projetado em 0,38%, segundo o Boletim Focus do Banco Central. 

Assim como no mês de julho, em agosto o relatório do índice FipeZap não trouxe nenhum comentário reafirmando a tendência de desaceleração das altas, como vinha fazendo até o mês de junho. Foi ressaltado apenas que em doze meses, o aumento acumulado nas sete regiões é de 16,3%, valor menor do que os 17,1% registrados no mês anterior.

O maior preço médio do metro quadrado, de 8.284 reais, foi verificado no Distrito Federal e o menor valor em Salvador, cujo preço médio é de 3.800 reais. Em São Paulo, o preço médio ficou em 6.703 reais e no Rio de Janeiro em 8.260 reais. Na média das sete regiões, o valor do metro quadrado anunciado foi de 6.799 reais.

Veja na tabela abaixo os dados divulgados no índice FipeZap de agosto:

Local Variação mensal em julho de 2012 Variação mensal em agosto de 2012 Preço do metro quadrado (R$)
Composto nacional 1,0% 1,0% 6.799
Belo Horizonte -1,2% - 0,2% 4.796
Distrito Federal -0,1% 0,2% 8.284
Fortaleza 3,4% 1,4% 4.862
Recife 0,6% 0,2% 5.372
Rio de Janeiro 1,1% 1,2% 8.260
Salvador 1,8% 1,1% 3.800
São Paulo 1,3% 1,4% 6.703

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.