• BVSP 121.113,93 pts +0,3%
  • USD R$ 5,6033 +0,0147
  • EUR R$ 6,6964 +0,0000
  • ABEV3 R$ 15,85 -0,13%
  • BBAS3 R$ 29,75 +0,37%
  • BBDC4 R$ 26,17 +1,43%
  • BRFS3 R$ 23,62 -2,80%
  • BRKM3 R$ 50,09 +3,24%
  • BRML3 R$ 9,8 +0,20%
  • BTOW3 R$ 68,22 +0,04%
  • CSAN3 R$ 90,81 -0,27%
  • ELET3 R$ 35,46 +3,68%
  • EMBR3 R$ 15,81 -0,94%
  • Petróleo US$ 66,47 -0,45%
  • Ouro US$ 1.778,30 -0,11%
  • Prata US$ 25,86 -0,94%
  • Platina US$ 1.210,10 +0,12%

Preço dos imóveis tem queda real de 8% em um ano

Índice FipeZap mostra que preço de apartamentos à venda se mantém estável e varia muito abaixo da inflação. É hora de comprar um imóvel?

São Paulo - Aproveite a estabilidade dos preços do mercado imobiliário para comprar o seu imóvel antes que os valores voltem a subir. No último ano, até julho, o preço médio do metro quadrado caiu 0,09%, a menor varição já registrada pelo Índice FipeZap.

O índice acompanha os valores de apartamentos à venda anunciados na internet em 20 cidades brasileiras. Essa variação dos imóveis ficou muito abaixo do aumento generalizado dos preços, a inflação, que deve ficar em 8,62% no mesmo período, segundo o Banco Central. Isso significa que a queda real foi de 8,01% em um ano.

Vale ressaltar que essa variação real não é obtida com uma simples subtração. Para realizar o cálculo, é preciso dividir a oscilação dos preços pela variação da inflação.

Só este ano, o preço médio dos imóveis à venda se mantive praticamente estável, com variação de apenas 0,09% entre janeiro e julho e de 0,06% entre junho e julho.

É hora de comprar imóvel?

Essa estabilização dos preços dos imóveis durante este ano aconteceu porque menos gente se dispôs a comprar, com desemprego alto e restrições maiores para financiar. Assim, os proprietários dos imóveis foram pressionados a oferecer melhores condições de negociação para consumidores, como explica o economista Raone Costa, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Por isso, sem pressa, é hora de aproveitar para pesquisar imóveis nas condições que você procura e tentar bons descontos na negociação. “Não vejo evidências de que esse padrão de preços estáveis que acompanhamos nos úlitmos meses vai mudar no curto prazo”, aponta o economista.

Porém, os preços não devem cair ainda mais, o que significa que é bom aproveitar para negociar seu imóvel ainda este ano. Na avaliação de Costa, no ano que vem, o mercado imobiliário deve  voltar a aquecer lentamente, e talvez o cenário de preços estáveis comece a mudar novamente.

Os preços em cada cidade

A cidade mais cara do Brasil para comprar um imóvel é também a que teve a maior queda no preço médio do metro quadrado em um ano. No Rio de Janeiro, os valores dos apartamentos caíram 3,6% em um ano, até julho. Na sequência está Niterói, onde os imóveis à venda desvalorizaram 2,39%.

Já as cidades que mais encareceram para morar são Vitória, em que houve um aumento nos preços de 6,86% em um ano, e Vila Velha, cujos imóveis passaram a custar 4,67% a mais, em média.

Confira abaixo a variação dos preços dos imóveis à venda nas 20 cidades pesquisadas pelo Índice FipeZap:

//e.infogr.am/js/embed.js?qA5

Em julho, o valor médio do metro quadrado anunciado no Brasil foi de 7.637 reais. Entre as 20 cidades pesquisadas pelo Índice FipeZap, as mais baratas para comprar apartamento são Contagem e Goiânia, e as mais caras, Rio de Janeiro e São Paulo.

Veja abaixo o preço médio do metro quadrado anunciado para venda:

//e.infogr.am/js/embed.js?NPw

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.