Mercado imobiliário

Posso chamar meus amigos que não moram no condomínio para jogar bola na quadra?

Especialista responde dúvida de leitores; envie você também suas perguntas

Quadra poliesportiva: saiba quem pode usar a quadra do condomínio (Lucas Amorim/Exame)

Quadra poliesportiva: saiba quem pode usar a quadra do condomínio (Lucas Amorim/Exame)

Moira Toledo
Moira Toledo

Diretora da Lello e vice-presidente do Secovi-SP

Publicado em 3 de julho de 2024 às 13h14.

Dúvida do leitor: posso chamar meus amigos que não moram no condomínio para jogar bola na quadra?

*Por Moira Toledo, advogada e diretora de risco e governança da Lello Imóveis

A quadra de futebol dos condomínios é o lugar ideal para encontros, formação de vínculos e muita diversão. Se tem um lugar que a comunidade acontece de modo prático e concreto são nas áreas comuns destinadas ao esporte.

Não raro, numa cidade como São Paulo, se encontram adultos que contam com saudosismos suas histórias e referências com as quadras dos condomínios e preservam suas amizades alí construídas por toda a vida.

Mas acontece que as relações humanas são (e devem ser) extramuros e aí dá vontade de chamar os amigos de outros círculos para participar destes momentos... mas e aí pode?

Primeira regra comum de ouro, observar o que dispõe a convenção e o regimento interno do condomínio. Normalmente existem normas estabelecidas para o uso das áreas comuns por convidados, como piscinas, quadras e academias.

Normalmente essas regras espelham a capacidade decorrente da estrutura, do volume de unidades e da própria concepção do empreendimento idealizada.

Como estabelecer quem pode usar a área comum do condomínio?

Devemos estimular o uso dessas áreas, pois são nela que a mágica da formação de vínculos humanos acontece e estes são essenciais para o desenvolvimento de uma sociedade mais sadia. A convivência além de bem estar, gera segurança e até mesmo valorização do patrimônio – pois sabe-se que condomínios com comunidades mais fortalecidas, são mais procurados e com melhor desempenho patrimonial.

Assim, o tamanho das áreas comuns e o volume de condôminos que de fatos as utilizam, devem ser o norteador da construção dessas regras dos convidados. E nada impede a negociação e as mudanças da regra que não mais reflitam a realidade, em assembleia.

O que não devemos é deixar espaços ociosos ou pior, perder a oportunidade da convivência com os vizinhos intra e extra muros.

Acompanhe tudo sobre:CondomínioImóveis

Mais de Mercado imobiliário

Leilão de imóveis: plataforma disponibiliza opções a partir de R$ 2 mil e com descontos de até 96%

Leilão da Caixa: mais de 2,3 mil imóveis em todo Brasil com descontos de até 40%

Minha mãe faleceu, mas ainda não partilhamos os bens. Meu pai pode hipotecar o imóvel?

Governo vai turbinar Minha Casa, Minha Vida com mais verbas do FGTS

Mais na Exame