Mercado imobiliário

Índice Preço Real EXAME-Loft: imóveis em São Paulo são anunciados 17,37% acima do valor real

Estudo de novembro mostra a diferença entre o preço transacionado e o preço anunciado; veja quais são os bairros mais caros

Imóveis em SP: diferença entre preços em anúncios de venda e preços reais diminui (Conrado Tramontini/Getty Images)

Imóveis em SP: diferença entre preços em anúncios de venda e preços reais diminui (Conrado Tramontini/Getty Images)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 14 de novembro de 2023 às 10h27.

Os imóveis à venda em São Paulo estão sendo anunciados 17,37% acima do valor real em novembro, é o que aponta o Índice Preço Real EXAME-Loft (IPR). O estudo mede a diferença entre o preço transacionado e o preço anunciado e é divulgado mensalmente pela Loft, uma das principais startups dedicadas ao mercado imobiliário no país.

Apesar dos preços dos anúncios ainda estarem distantes da realidade dos preços finais, o número mostra uma queda de 2,02 p.p. (pontos percentuais) com relação à edição anterior. O resultado também dá sequência a uma tendência de queda iniciada em setembro, quando o estudo mostrou uma quebra na sequência de altas desde dezembro de 2022.

“A redução da diferença entre os preços anunciados e efetivamente transacionados vem em queda desde a edição de setembro, o que é uma ótima notícia. Quanto menor a diferença, mais rápido tende a ser o caminho até que vendedores e compradores cheguem a um equilíbrio e fechem negócio. Mas a diferença ainda é grande, na casa dos 17% de média. E não é possível ainda assegurar que a redução seguirá”, comenta Fábio Takahashi, gerente de dados da Loft.

Leia também:

Diferença entre valor anunciado e preço vendido

O estudo mostrou que dos 50 bairros analisados, sete bairros apresentaram uma tendência consistente de queda na diferença entre os preços transacionados e anunciados nesta edição de novembro, sendo eles: Alto de Pinheiros, Barra Funda, Jaçanã, Jardim Europa, Jardim Paulistano, Morumbi e Vila Medeiros.

O resultado chama a atenção já que nenhum bairro estava com queda consistente no mês anterior. Além disso, nenhuma região também apresentou uma tendência de alta. “Nos sete bairros em que a redução foi mais intensa, no geral notamos uma estabilidade nos preços transacionados, mas também uma pequena diminuição nos preços anunciados. É um caminho interessante, de ajuste nas expectativas dos vendedores”, destaca Takahasi.

Os bairros com anúncios mais distantes dos preços reais são Mooca (34,24%), Sapopemba (29,22%) e Morumbi (28,65%). Já os bairros com anúncios mais próximos dos preços reais são Jardim Europa (-0,31%), Alto de Pinheiros (6,29%) e Jaçanã (6,7%).

Qual o metro quadrado mais caro de São Paulo?

O levantamento aponta ainda o preço do metro quadrado por bairro. Assim como na edição de outubro, Jardim Europa segue sendo o bairro com o metro quadrado mais caro da cidade (R$ 23.060,96), seguido pela Vila Nova Conceição (R$ 16.003,83) e Itaim Bibi (R$ 12.998,40).

Acompanhe tudo sobre:ImóveisPreços de imóveisLoft

Mais de Mercado imobiliário

O que é código postal? Como descobrir o meu?

Repasse imobiliário: Como funciona?

Avenida São João: conheça melhor essa famosa avenida de São Paulo

Leilão de imóveis: plataforma disponibiliza opções a partir de R$ 2 mil e com descontos de até 96%

Mais na Exame