Especulação imobiliária reduz em 3 bairros da capital paulista, aponta Loft

A especulação imobiliária é medida por meio da diferença média de preço entre o valor pedido pelo proprietário e o efetivamente acertado em contrato
Vila Nova Conceição: tem o metro mais caro na cidade de São Paulo (Germano Lüders/EXAME.com/Exame)
Vila Nova Conceição: tem o metro mais caro na cidade de São Paulo (Germano Lüders/EXAME.com/Exame)
Karla Mamona
Karla MamonaPublicado em 11/10/2022 às 19:22.

A especulação imobiliária reduziu em três bairros da capital paulista: República, Itaim Bibi, Vila Nova Conceição. É o que aponta a nova edição do Índice Especulômetro EXAME-Loft, que reúne a EXAME com a Loft, uma das principais startups dedicadas ao mercado de imóveis no país.

A especulação imobiliária é medida por meio da diferença média de preço entre o valor pedido pelo proprietário e o efetivamente acertado em contrato, ou seja, existe uma oportunidade de negociação para quem deseja comprar um imóvel. A Loft analisa os valores anunciados e os dados do ITBI (imposto sobre transações imobiliárias) divulgados pela Prefeitura de São Paulo.

De acordo com os dados, no bairro da República, a diferença entre os entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações é de 20,54%. O bairro tem apresentado uma tendência de queda nesta diferença no acumulado de três meses. Na região, o preço do metro quadrado é de R$ 7.202.

No Itaim Bibi e na Vila Nova Conceição a diferença entre o preço anunciado e o valor do contratado é de 15,31% e 12,37%, respectivamente. Os dois bairros são os mais caros da capital, Itaim com o preço do metro quadrado é de R$ 12.666 e a Vila Nova Conceição de R$ 16.444.

Sobre o Itaim Bibi, Rodger Campos, gerente de dados da Loft, explica que houve um aumento de preço na região. No acumulado de três meses, os preços já subiram 12,28%. "O aumento pode ter sido causado porque foram transacionados apartamentos com características diferentes." Nesse bairro, o ano de construção médio dos imóveis vendidos vinha sendo 1976; neste mês, subiu para 1982. Os apartamentos transacionados também foram levemente menores, de média de 107 m2 para 98 m2.

"Imóveis mais novos e menores tendem a ter um metro quadrado mais alto. Assim, é preciso mais tempo para saber se a valorização do metro quadrado é fruto mesmo de valorização do mercado ou apenas foi uma mudança do tipo de imóvel negociado."

Já sobre a Vila Nova Conceição, Campos explica que característica dos apartamentos praticamente não mudou, o que indica mais uma valorização do metro quadrado no período.

A Lapa foi o único bairro que a especulação imobiliária aumentou. Na região, a diferença de preço entre o valor anunciado e o fechado no contratado é de 37,73%. O aumento pode ser explicado, de acordo com a Loft, que os valores transacionados tiveram redução, o que não foi acompanhada pelos anúncios. No bairro, o valor do metro quadrado na região é de R$ 7.980. É o segundo bairro mais barato entre os analisados, perdendo apenas para a República.

Preço do metro quadrado

Ao analisar o preço do metro quadrado, os dados apontam que a Vila Nova Conceição lidera a lista, com o metro quadrado mais caro, enquanto a República tem o metro quadrado mais barato da capital. Veja abaixo:

Made with Flourish

Veja Também

'FGTS Futuro' poderá ser usado para imóvel; entenda
Mercado imobiliário
Há um dia • 2 min de leitura

'FGTS Futuro' poderá ser usado para imóvel; entenda

Caixa reduz liberações de crédito imobiliário no fim do ano
Mercado imobiliário
Há um dia • 4 min de leitura

Caixa reduz liberações de crédito imobiliário no fim do ano