China eleva entrada exigida na compra da segunda casa

Governo chinês procura esfriar ainda mais o seu mercado imobiliário
O premiê chinês, Wen Jiabao: compra da segunda casa tem entrada elevada (Getty Images)
O premiê chinês, Wen Jiabao: compra da segunda casa tem entrada elevada (Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 26/01/2011 às 11:09.

Pequim - O gabinete de governo da China decidiu elevar o pagamento inicial mínimo para a compra de uma segunda residência no país, de 50% para 60%, na tentativa de esfriar ainda mais o mercado imobiliário, informou hoje a rádio estatal.

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, o Conselho Estatal pediu que autoridades locais estabeleçam metas de preços razoáveis para os imóveis neste ano até o fim do primeiro trimestre.

O gabinete reiterou que as taxas de empréstimos hipotecários para compra de segunda residência devem ser, no mínimo, 10% acima das taxas de juros para empréstimos de referência do governo.

O governo central da China estabeleceu essa exigência em abril do ano passado. O governo também decidiu hoje limitar as compras de residências em algumas grandes cidades do país, nas quais os preços vêm subindo fortemente. As informações são da Dow Jones.