• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

Aluguel: preço em SP registra maior alta desde 2019, mostra QuintoAndar

Preço médio dos novos aluguéis registrou valorização de 2,16% na cidade em janeiro em comparação com dezembro
Valorização é motivada pela alta temporada para aluguéis e pela retomada da busca por studios e imóveis de um dormitório (Exame/Germano Luders/EXAME)
Valorização é motivada pela alta temporada para aluguéis e pela retomada da busca por studios e imóveis de um dormitório (Exame/Germano Luders/EXAME)
Por Redação Publicado em 07/02/2022 17:24 | Última atualização em 12/02/2022 09:23Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O preço médio de novos aluguéis residenciais registrou valorização de 2,16% em São Paulo em janeiro na comparação com dezembro de 2021. É o que mostram dados do Índice QuintoAndar de Aluguel. Foi a maior alta registrada em um mês desde junho de 2019, data de início da série histórica do indicador.

Em janeiro, o mercado residencial de aluguel manteve o aquecimento registrado nos últimos meses na capital paulista. Foi o sexto mês de alta consecutiva. No mês, o preço médio do metro quadrado atingiu R$ 37,48.

Diferentemente de outros índices do mercado com base no valor do anúncio, o Índice QuintoAndar leva em conta apenas valores concretos de contratos fechados de aluguel. Ou seja, são consideradas as negociações entre locatário e inquilino.

Gostaria de aprender a investir em fundos imobiliários? Acesse aqui o curso gratuito da EXAME Academy em parceria com a B3

Entre os principais fatores para a alta recorde estão a alta temporada de procura de aluguéis e a retomada da procura por studios e imóveis de um dormitório, resultados da atividade econômica e da volta ao trabalho presencial.

Em janeiro, o preço médio do metro quadrado de studios e apartamentos de um quarto avançou 3,24% em comparação a dezembro, segundo o índice, atingindo R$ 47,11/m². Foi a maior alta registrada para esse tipo de imóvel desde 2019, também desde o início da série histórica.

A alta na procura de apartamentos menores beneficiou os bairros do Centro expandido da capital paulista, região com grande estoque desses imóveis. Liberdade (8%), Vila Clementino (7,9%), Itaim Bibi (6,9%) e Centro (6,9%) figuram entre os bairros mais valorizados no mês, em comparação com dezembro.

O aquecimento do mercado residencial fez com que a diferença entre o preço médio do aluguel por metro quadrado em anúncios e o efetivamente fechado em contratos registrasse mais uma queda, desta vez de 11,2%.

Apesar da alta registrada nos últimos meses, o preço médio do aluguel em São Paulo ainda está 4% abaixo do patamar de março de 2020, mês que marca o início da pandemia de covid-19.

No Rio, mais um mês de alta

No Rio de Janeiro, o valor médio do metro quadrado de aluguel avançou 0,91% em janeiro em comparação a dezembro. Foi o quinto mês consecutivo de alta. O preço médio do metro quadrado atingiu R$ 31,19: foi o maior valor desde outubro de 2019.

Assim como em São Paulo, a cidade foi beneficiada pela alta dos preços de studios e apartamentos de um quarto. Em comparação com dezembro, a alta no valor desse tipo de imóvel foi de 2,19%, a maior alta desde o início da série histórica em 2019.

Os bairros mais valorizados no mês foram Leblon (5%), Santa Teresa (3,8%), Flamengo (3,8%), Centro (3,3%) e Tijuca (3,3%).

Desde novembro, a capital fluminense vem registrando valorização dos imóveis para aluguel, recuperando as perdas acumuladas desde o ápice da pandemia de covid-19. Em janeiro, o preço médio do metro quadrado estava 3,1% acima do registrado em março de 2020.

Não perca as últimas tendências do mercado imobiliário: assine a EXAME por menos de R$ 0,37 e receba notícias em primeira mão

Veja Também

Dólar está caindo. É hora de comprar?
Minhas Finanças
Há um dia • 3 min de leitura

Dólar está caindo. É hora de comprar?

O que acontece se você errar na declaração do Imposto de Renda
Minhas Finanças
Há um dia • 4 min de leitura

O que acontece se você errar na declaração do Imposto de Renda

Leilão da Caixa oferece imóveis com até 85% de desconto
Mercado imobiliário
Há 2 dias • 2 min de leitura

Leilão da Caixa oferece imóveis com até 85% de desconto

Como declarar doações no Imposto de Renda 2022
Minhas Finanças
Há 2 dias • 5 min de leitura

Como declarar doações no Imposto de Renda 2022

Meu avô tem 80 anos e recebe aluguel. Precisar declarar o IR?
Minhas Finanças
Há 3 dias • 1 min de leitura

Meu avô tem 80 anos e recebe aluguel. Precisar declarar o IR?