Vivo patrocina Lollapalooza e destina toda a cota de convites para negros

A ação da Vivo se inspira na discussão já existente sobre a representatividade negra entre as atrações e o público dos principais festivais no mundo
 (Mauricio Santana/Getty Images)
(Mauricio Santana/Getty Images)
M
Marina Filippe

Publicado em 20/03/2022 às 10:18.

Última atualização em 20/03/2022 às 10:19.

O festival de música Lollapalooza já foi criticado pela baixa presença de pessoas negras entre o público e os artistas. Agora, na próxima edicação, que ocorre nos dias 25, 26 e 27 de março, a Vivo quer mudar este cenário com o projeto “Presença Preta”, iniciativa na qual destinará toda a sua cota de convites para pessoas negras, com objetivo de mais inclusão nos espaços de música e entretenimento.

“Com o ‘Presença Preta’, colocamos os holofotes da diversidade para além dos palcos e com o olhar na plateia. Usamos a voz da marca para promover uma ação afirmativa e inspirar um futuro que é mais tecnológico e também mais diverso e inclusivo”, explica Marina Daineze, diretora de marca e comunicação da Vivo, marca patrocinadora do Lolla Lounge.

Com o mote “Nossos holofotes estão na plateia. Nosso olhar, no futuro”, a ação se inspira na discussão já existente sobre a representatividade negra no line up e no público dos principais festivais no mundo, aliando a esta pauta o papel transformador da tecnologia 5G na construção deste futuro mais plural e inclusivo.

A campanha, que conta com diversas ativações pré e durante o festival, inclui um filme estrelado por Djonga, um dos maiores nomes do cenário do rap brasileiro e uma das atrações do festival. O filme é exibido em tv aberta, tv paga e nas mídias digitais.

“A Vivo convidou para protagonizar a sua campanha do Lollapalooza um artista atual de extrema relevância para a conscientização da população em torno da temática racial. E foi além, extrapolando os limites tradicionais de patrocínio a um evento para reforçar o seu compromisso com a inclusão e a valorização da cultura negra”, diz Rafael Pitanguy, CCO da VMLY&R.

Também como parte da ação, a marca formou um time com mais de 50 influenciadores digitais negros que participarão do evento, a convite da Vivo, para levar conteúdo especial aos seus canais nas redes sociais.

A iniciativa dá continuidade à atuação a Vivo em projetos voltados para promover a diversidade e inclusão e dar visibilidade à cultura preta, reafirmando seu posicionamento sobre tema – agora em um dos festivais mais aguardados do país.

 O “Presença Preta” é um projeto colaborativo com criação da VMLY&R e o apoio das agências Soko e Galeria. Todo o projeto foi desenvolvido por equipes negras.

Equidade racial na Vivo

Para além do festival, a Vivo tem promovido ações de equidade racial internamente. No último programa e estágio, por exemplo, 50% das 750 vagas eram dedicadas a jovens negros. Já em outubro, a companhia conversou com os funcionários sobre desconstrução do racismo. E, em novembro, foi debatido sobre Afroempreendedorismo e, em seguida, diversidade racial na cadeia de valor.

Hoje há 30% de profissionais negros em todos os cargos, e 20% de negros na liderança. Há também um programa de desenvolvimento de carreira para 100 colaboradores negros, trabalhando com a descoberta das potencialidades de cada indivíduo, abordando aspectos pessoais e profissionais, que podem apoiar nas oportunidades de desenvolvimento de suas carreiras e o programa de incentivo ao desenvolvimento, Vivo Explore+, qye oferece 50% de subsídio para todos os funcionários negros em cursos de graduação, pós-graduação, idiomas e cursos de curta duração.