Nova modalidade de compra do Magalu dispara venda de iPhones

Nova estratégia do Magalu, o Compra Junto, tem cota mínima de interessados para liberar desconto
Magalu: como os clientes dependem que a meta seja batida para a venda ser feita, a empresa aposta que isso garantir essa publicidade boca a boca (Magalu/Divulgação)
Magalu: como os clientes dependem que a meta seja batida para a venda ser feita, a empresa aposta que isso garantir essa publicidade boca a boca (Magalu/Divulgação)
V
Victor SenaPublicado em 26/03/2022 às 06:00.

A economia com a publicidade é uma das explicações de que como o Magalu está conseguindo oferecer descontos agressivos que chegam a 55% na sua nova modalidade Compra Junto, que permite compras em grupo de determinados produtos.

A aposta da marca é que força das promoções e inovação do formato dentro do mercado de e-commerce brasileiro garanta publicidade de boca a boca.

A ferramenta, hospedada no aplicativo da companhia, é uma espécie de rede social, em que os clientes se juntam em grupos, compartilhando links de ofertas de seu interesse com sua rede de contatos. O objetivo é atingir um determinado volume de compras e, assim, garantir os descontos.

Como os clientes dependem que a meta seja batida para a venda ser feita, a empresa aposta que isso garantir essa publicidade boca a boca. Assim, a ferramenta estimularia o cliente a compartilhar a promoção com seus amigos.

Em dois dias de funcionamento, o Compra Junto fechou 15 grupos de compras que vão de sabão de lavar roupas, por 19,99 reais, a smartphones premium, de 3.799 reais. O que surpreendeu o time do Magalu foi a velocidade com que três grupos de iPhone foram fechados. O de um de iPhone 11 foi fechado em menos de uma hora.

Na China, o site PinDuoDuo ficou conhecido por adotar o mesmo formato. Hoje, ele tem 13% do e-commerce do gigante asiático. A média do desconto é de 30% no aplicativo do Magalu.

A ideia também é que a cota mínima alta da venda ajude a empresa a fazer lucro com o preço baixo, ganhando na escala.

Segundo a empresa, a presença da cobrança de frete também é o que garante a viabilidade financeira da estratégia.

O Compra Junto é só uma das ferramentas que a empresa está desenvolvendo para diminuir a dependência do "clique comprado".

No ano passado, a companhia criou uma plataforma proprietária de publicidade online (Magalu Ads), que faturou 100 milhões de reais em 2021. Nesse caso, o Magalu aproveita a audiência virtual de várias empresas do grupo -- como o  Jovem Nerd, o Canaltech, o Steal the Look e o próprio aplicativo da varejista -- para veicular publicidade própria e também de terceiros.