Millennials são os que mais respeitam isolamento, diz pesquisa

Geração entre 21 e 35 anos é mais propensa a ficar em casa. Jovens até 20 anos são os que menos respeitam a quarentena

A geração millennial, formada por pessoas entre 21 e 35 anos, é a que mais segue as determinações de isolamento social, segundo pesquisa realizada pela Ioasys, empresa especializada em transformação digital. Já os jovens entre 13 e 20 anos, que formam a geração Z, são os menos propensos a ficar em casa. 

O estudo ouviu mais de 1.300 pessoas, pela internet, de todos os estados e de variadas classes sociais. Entre os millennials, 52,4% disseram seguir rigorosamente as orientações das autoridades que recomendam o distanciamento social, como a Organização Mundial da Saúde (OMS). O percentual é semelhante entre os mais velhos. Na geração X, entre 36 e 55 anos, 51,1% cumprem o isolamento; e entre os boomers, de 56 a 81 anos, 49% respeitam as determinações. 

Entre os jovens da geração Z, apenas 38,5% seguem rigorosamente as orientações. Em geral, 50,7% dos entrevistados afirmam seguir à risca o isolamento. Outros 41,7 respeitam as orientações na maior parte do tempo e 6,2%, às vezes. Os que não respeitam a quarentena somam 1,4%. 

Os jovens também se diferenciam no quesito hábitos digitais. A geração Z é a que mais tem participado de webinars e assistido a videoaulas. Mas, apenas 2 em cada 10 entrevistados desta geração costumam ouvir podcasts. Já os millennials são os que mais consomem lives e os que menos participam de webinars e videoaulas. Os boomers são os que menos assistem a vídeos engraçados e memes na internet. A geração mais velha prefere usar a internet para assistir filmes e séries, ouvir música e fazer videochamadas com amigos e família.   

A pesquisa também mediu o nível de otimismo dos participantes. Metade se enquadra na classificação média. Os otimistas somam 18,5% e os muito otimistas, 5,4%. Os pessimistas representam mais de 25% da amostra. Para 70,3%, a vida só voltará ao normal em alguns meses e 12,2% acreditam que o retorno à normalidade levará anos. Quase 9% afirmam que a vida nunca mais será a mesma. 

Sobre qual será a primeira coisa a ser feita após a quarentena, a resposta mais mencionada foi visitar a família e os amigos. Comer um prato específico, ir a festas e casar também estiveram entre as ações mais cobiçadas pelos entrevistados.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE