Caxirola pode ser proibida por Fifa e COL nos estádios

Instrumento pode ser proibido devido ao incidente ocorrido no mês passado na Arena Fonte Nova, em Salvador, quando a torcida atirou peças no gramado

Salvador - A caxirola, criada para ser o "instrumento musical" da Copa do Mundo de 2014, pode não sobreviver até lá. O incidente ocorrido no fim do mês passado na Arena Fonte Nova, em Salvador, em que a torcida do Bahia atirou várias peças no gramado em protesto contra a atuação do time no jogo contra o Vitória, e a proibição de seu uso no clássico deste domingo levaram a Fifa e o Comitê Organizador Local a estudar rever a autorização para a comercialização do produto.

A possibilidade da proibição da caxirola foi discutida nesta sexta-feira, mas não há um consenso sobre o que fazer. No entanto, é preciso uma decisão rápida, pois pelo plano inicial o instrumento também "invadiria" os estádios na Copa das Confederações, que começa em 15 de junho.

Questionados pela reportagem, os dois responsáveis pelas competições deram a mesma resposta. "O Comitê Organizador Local (COL) e a Fifa estão reavaliando a autorização concedida à caxirola como item aprovado e comunicarão a decisão em uma data oportuna", responderam, em diferentes e-mails.

A proibição do uso da caxirola neste domingo, na Arena Fonte Nova, foi tomada na última quinta pela Polícia Militar. "Foi uma reunião com o Ministério Público, representantes dos times, das torcidas e da federação, e a decisão foi unânime", disse o major Henrique Melo, da PM baiana.

Para Brito Júnior, diretor da The Marketing Store, a multinacional que produz a caxirola e pretende iniciar a venda em três semanas, esses contratempos não afetam o planejamento.

"O instrumento é para a Copa do Mundo e a das Confederações, não para campeonatos locais. Doamos para aquele Ba-Vi porque era um evento-teste", disse. "Mas as caxirolas serão vendidas (R$ 29,90) e quem comprar o fará para usá-las corretamente".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.