Amaro quer transformar homofobia em doações para mulheres trans

A ideia começou quando a Amaro perdeu cerca de 15 mil seguidores no Instagram depois de postagens com casais homossexuais

A varejista Amaro lança a campanha "Transformando Intolerância em Amor", que busca reverter demonstrações de intolerância e preconceito em um ato de amor ao próximo.

O mundo segue mudando. Siga em evolução com a EXAME Academy

A ideia começou quando a empresa perdeu cerca de 15 mil seguidores no Instagram depois de posts com casais homossexuais e, para transformar em uma ação positiva, doará R$ 15 mil para a Casa Florescer, centro de acolhimento para mulheres transexuais e travestis.

Em abril, a marca postou uma imagem de repúdio ao Projeto de Lei 504, que tinha o objetivo de proibir propaganda homoafetiva em São Paulo. Na época, a empresa perdeu 8 mil seguidores. No ano passado, o post em homenagem ao Dia do Orgulho LGBTQIA+, que rendeu à marca um dos maiores engajamentos da história, fez com que a empresa também perdesse mais de 7 mil seguidores.

Campanha

A Amaro lançou duas camisetas com a temática LGBTQIA +. O valor do lucro das camisetas será 100% revertido para a Casa Florescer ao longo do ano, não só no mês de junho. Os valores dos itens variam entre R$ 79,90 e R$ 89,90.

Para dar mais visibilidade à Casa Florescer e ampliar a voz das mulheres acolhidas pela ONG, a Amaro disponibilizará conteúdos contando as suas histórias além de um vídeo hero falando de corpos trans. O objetivo é gerar conhecimento, empatia e sensibilizar nossa audiência sobre as diferentes realidades das mulheres.

"Nossa missão como marca é dar visibilidade para perfis plurais nos nossos canais o ano todo. Queremos apoiar e ampliar a voz de todas as mulheres e construir essa história lado a lado com a Casa Florescer é fundamental para repassar essa mensagem e, principalmente, para que mais pessoas se sintam identificadas e representadas", diz Marcelo Cidral, gerente de mídias sociais e influenciadores da AMARO.

Para reforçar o conceito da campanha, a Amaro selecionou comentários escritos por haters nas redes sociais e parte do time LGBTQIA+ da AMARO, que representa aproximadamente 30% dos funcionários, responderá os questionamentos dos usuários em formato de vídeos, com objetivo de desmistificar estereótipos.

Para os funcionários, a Amaro fará um talk interno com a Rita Von Hunty, comediante e drag queen brasileira, e com Fábio Manzoli, do blog Masculinidade Saudável, sobre heteronormatividade tóxica.

A ideia é trazer além da perspectiva da Rita, o ponto de vista de um homem cis hétero, o gargalo nessas questões de discriminação, para trazer conhecimento sobre como pequenas atitudes podem ser micro agressões e como podemos trabalhar juntos para construir uma sociedade melhor.

O material será divulgado como um conteúdo nas redes sociais da marca.

Quer saber como diversidade e inclusão impactam seu negócio? Assine EXAME e descubra 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também