Tesouro Direto: veja os títulos que mais renderam em 2020

Ano com incertezas de pandemia e crise fiscal afetou o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+ com prazos longos. Mas teve título que rendeu quase 9%

2020 foi um ano tão cheio de incertezas que até alguns títulos do Tesouro Direto conhecidos pela segurança sofreram com a volatilidade, em razão do ajuste periódico do seu valor de face -- a chamada marcação a mercado.

Conheça 10 investimentos promissores para 2021. Baixe relatório gratuito do BTG Pactual digital

"Em um ambiente de alta incerteza econômica e fiscal, decidir entre títulos pré fixados -- que sofrem fortemente com a alteração das perspectivas sobre a taxa futura esperada -- e títulos pós fixados -- que tendem a render de maneira contínua e segura a taxa básica -- foi uma tarefa árdua", afirma André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos.

Em análise enviada a clientes, Perfeito diz que os títulos prefixados poderiam a qualquer momento desabar com a perspectiva de elevação dos juros dadas as "condições fiscais calamitosas" no Brasil, mas não foi isso que ocorreu na sua maioria. E que a persistência de juros baixos no curto prazo fez o "miolo" da curva de juros ceder, criando "grandes ganhos" aos seus detentores. Resultado: títulos do Tesouro IPCA+ (NTN-B) que vencem em 2024 tiveram rendimento de quase 9% neste ano.

Foi um ano em que, em dado momento (agosto e setembro, principalmente), até títulos do Tesouro Selic (pós-fixados que acompanham a taxa básica de juros), que estão entre os mais seguros do mercado, chegaram a registrar rendimento negativo.

"No fim, o grande vencedor foi um título que ninguém mais pode comprar. Os títulos vinculados ao IGP-M (o Índice Geral de Preços - Mercado, calculado pela Fundação Getulio Vargas) bateram todos os outros na esteira da alta recorde do IGP-M, derivado de um choque via câmbio que fez os índices gerais dispararem", observa o economista.

Veja a seguir o desempenho dos títulos do Tesouro Direto até a terça-feira, 29 de dezembro:

Veja o rendimento dos títulos do Tesouro Direto em 2020, segundo a Necton Veja o rendimento dos títulos do Tesouro Direto em 2020, segundo a Necton Investimentos

Veja o rendimento dos títulos do Tesouro Direto em 2020, segundo a Necton Investimentos (Necton Investimentos/Divulgação)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.