Ricos adoram ações, mas setor imobiliário ainda é preferido

As carteiras dos membros do Tiger 21 - uma rede de ricos empresários, investidores e executivos com uma média de US$ 100 milhões em ativos - possuem, em média, 22% em ações listadas

Apesar de todo o debate de como as ações podem estar sobrevalorizadas, quase 65% dos membros de um clube multimilionário de elite esperam que o mercado acionário termine 2021 com ainda mais ganhos.

As carteiras dos membros do Tiger 21 - uma rede de ricos empresários, investidores e executivos com uma média de US$ 100 milhões em ativos - possuem, em média, 22% em ações listadas. O grupo divulga a alocação de ativos de suas carteiras de 850 membros a cada trimestre.

O clube se reúne em grupos de 15 em cidades ao redor do mundo para discutir oportunidades de investimento e realizar as chamadas “defesas de portfólio” - sessões em que outros membros avaliam os investimentos de um sócio. Uma pesquisa com membros revelou que 65% achavam que o mercado terminaria o ano em alta.

A ação com a maior presença nas carteiras é popular entre investidores de varejo: Apple. Ações de grandes empresas de tecnologia, assim como Nvidia e Tesla, também são as favoritas dos membros, disse Michael Sonnenfeldt, fundador e presidente do grupo.

O mercado imobiliário ainda responde pela maior fatia das carteiras, com 27%. Os membros do Tiger tentam descobrir “o que mudou para sempre no mercado imobiliário, o que mudou temporariamente e o que vai se recuperar rapidamente”, disse Sonnenfeldt.

O setor imobiliário industrial passa por um boom, especialmente centros de distribuição que formam a espinha dorsal da cadeia de distribuição da Internet, disse Sonnenfeldt. Investir em moradias para a força de trabalho também está em alta, disse, incluindo a conversão de hotéis de serviço limitado. Essas unidades podem ser apartamentos com jardins nas cidades, destinados a inquilinos que ganham cerca de US$ 50 mil por ano em empregos estáveis.

“É fundamental quando as indústrias estão se mudando para novas áreas que tenham moradia suficiente para os trabalhadores que vão empregar”, disse Sonnenfeldt.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.