Commodities em alta: Petrobras salta mais de 3%, na 7ª alta seguida; Vale tem 3º dia de ganhos

Confira os principais destaques de ações desta terça-feira

Depois de cair 1,75% na mínima do dia, o Ibovespa ganhou força nesta tarde, impulsionado pelas ações da Petrobras (PETR3; PETR4), e fechou em alta de 0,44%, em 119.376 pontos. Os papéis ordinários e preferenciais da petroleira avançaram 3,05% e 3,91%, respectivamente, no seu sétimo pregão seguido de ganhos, puxados pelos preços do petróleo no exterior.

Os contratos do petróleo Brent, usados como referência pela estatal e negociados em Londres, subiram 5,05%, em 53,67 dólares o barril, no maior patamar desde fevereiro, após membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados entrarem em acordo para conter a oferta da commodity nos próximos dois meses.

Conheça 10 investimentos recomendados para 2021 com o relatório gratuito do BTG Pactual digital.

Em abril, no início da pandemia, os países fecharam acordo histórico para reduzir a produção da commodity em 9,7 milhões de barris por dia, que seria retomado, gradualmente, em 2 milhões de barris caso a demanda retornasse ao patamar registrado antes da crise. No entanto, devido a incertezas sobre a pandemia, no início de dezembro, o grupo decidiu limitar o aumento da produção em 500 mil barris por dia em janeiro, diminuindo o corte conjunto para 7,2 milhões de barris por dia em relação ao patamar anterior à pandemia.

Agora, em anúncio surpresa, a Arábia Saudita ofereceu um corte de produção de 1 milhão de barris por dia, começando em fevereiro e estendendo até março, se somando à redução que o país já tem aplicado sobre sua oferta com os outros integrantes do grupo. Dois países produtores, a Rússia e Cazaquistão, terão permissão para elevar, em conjunto, a produção em 75 mil barris por dia em fevereiro e em outros 75 mil barris por dia em março, enquanto o restante da Opep e aliados vão manter a produção estável.

Vale e Siderúrgicas

Com a melhora do humor do mercado, as ações da Vale (VALE3) viraram para alta, encerrando a sessão em valorização de 1,68%, no seu terceiro pregão consecutivo no positivo, e sustentadas ainda por mais um pregão de ganhos dos preços do minério de ferro. O movimento foi acompanhado também pelas siderúgicas, com Gerdau (GGBR4), CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM5), que ganharam força nesta tarde e avançaram 2,42%, 1,81% e 1,07%, respectivamente.

O minério de ferro negociada no porto chinês de Qingdao subiu 1,55% nesta terça, cotadas em 167,86 a tonelada.

Braskem 

As ações da Braskem (BRKM5) fecharam praticamente estáveis (+0,04%). No radar, a companhia informou hoje que conseguiu suspender medidas adicionais determinadas pela Agência Nacional de Mineração (ANM) para fechamento de minas instáveis de extração de sal em Maceió (AL), que acarretariam custo adicional de 3 bilhões de reais à petroquímica.

Sanepar

Fora do Ibovespa, as units da Sanepar (SANB11) caíram 3,35%, indo para sua quarta sessão seguida de queda, após corte de recomendação pelo Credit Suisse. O banco rebaixou a classificação dos papéis de neutra para underperform, equivalente a venda, com preço-alvo em 27,10 reais, o que implica um potencial de alta de 7,9% frente ao fechamento de ontem.

Na última quarta-feira, 30, o Bradesco BBI também cortou a recomendação das ações de outperform, equivalente a compra, para neutra, após a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) ter redefinido o reajuste anual da tarifa de água e esgoto, que estava suspenso desde setembro, em 5,11%, mas abaixo do que o próprio regulador já havia definido em agosto de 9,62%. O preço-alvo do banco para os papéis é de 34,00 reais para este ano.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.