Invest

Poupança tem ganho real acima de 5% pela primeira vez desde 2017

Com o recuo da inflação em junho, a poupança obteve um rendimento real de 5,22%

Poupança: com deflação, retorno da poupança ficou acima de 5% (kwanchaichaiudom/Thinkstock)

Poupança: com deflação, retorno da poupança ficou acima de 5% (kwanchaichaiudom/Thinkstock)

Karla Mamona
Karla Mamona

Editora de Finanças

Publicado em 12 de julho de 2023 às 11h23.

Com a deflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 0,08% em junho, a poupança teve um rendimento real de 5,22%. É o que aponta um levantamento divulgado nesta quarta-feira, 12, pelo TradeMap. É a primeira vez, desde agosto de 2017, que o ganho real da poupança supera a inflação em mais de 5%.

Segundo o levantamento, a poupança tem apresentado resultado positivo, acima da inflação desde setembro do ano passado. “A desaceleração dos preços, especialmente após o corte de impostos sobre os combustíveis, permitiu que a poupança registrasse seu primeiro retorno positivo em 12 meses em setembro do ano passado, com ganho de 0,02%. Desde então, os retornos vêm aumentando progressivamente.”

(TradeMap/Divulgação/Divulgação)

Por que o IPCA caiu em junho?

O grupo de alimentação e bebidas, com queda de - 0,66%, e de transporte, com redução - 0,41%, foram os principais responsáveis pelo resultado do índice geral, com impacto de -0,14 p.p. e -0,08 ponto percentual.

“Alimentação e bebidas e Transportes são os grupos mais pesados dentro da cesta de consumo das famílias. Juntos, eles representam cerca de 42% do IPCA. Assim, a queda nos preços desses dois grupos foi o que mais contribuiu para esse resultado de deflação no mês de junho”, explicou André Almeida, analista da pesquisa do IBGE. O programa do governo para descontos em carros zero e a queda no diesel, etanol e gasolina puxaram a queda dos transportes.

Todos os combustíveis pesquisados apresentaram queda. Além disso, a gasolina, é o subitem de maior peso individual no IPCA, com 4,84%. A queda na gasolina, esse mês, teve um impacto de -0,06 p.p.”, destaca Almeida.

Frutas, leite, carnes e óleo de soja foram os itens que desaceleram e impactaram no resultado do grupo de alimentação. “Nos últimos meses, os preços dos grãos, como a soja, caíram. Isso impactou diretamente o preço do óleo de soja e indiretamente os preços das carnes e do leite, por exemplo. Essas commodities são insumos para a ração animal, e um preço mais baixo contribui para reduzir os custos de produção. No caso do leite, há também uma maior oferta no mercado”, explica o analista.

O que é deflação?

A deflação é quando, em vez de subirem, os preços da economia, na média, são reajustados para baixo. Ou seja, o índice de inflação fica negativo.

Acompanhe tudo sobre:PoupançaInvestimentos-pessoais

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2726; prêmio é de R$ 30 mi

Devedores têm último fim de semana para aderir ao Desenrola Brasil

Para acelerar atendimento a benefícios sociais, Caixa abre 17 agências no RS no sábado e domingo

Sem ‘abocanhada’ do leão: analista recomenda 4 ativos de renda fixa que pagam até IPCA + 7,1%

Mais na Exame