Fundo ESG da gestora Fama reduz aporte mínimo para R$ 1 mil 

O fundo da FAMA apresentou um retorno anualizado de 21% ao ano desde o início, comparado com 14% ao ano do índice Bovespa
Fabio Alperowitch: redução no aporte é um passo para viabilizar o acesso para a geração Z, que tem os valores alinhados aos princípios ESG praticados pela gestora (Divulgação/Divulgação)
Fabio Alperowitch: redução no aporte é um passo para viabilizar o acesso para a geração Z, que tem os valores alinhados aos princípios ESG praticados pela gestora (Divulgação/Divulgação)
Karla Mamona
Karla Mamona

Publicado em 16/06/2021 às 15:06.

Última atualização em 16/06/2021 às 19:34.

A gestora Fama Investimentos anunciou nesta quarta-feira, 16, que reduziu o valor da aplicação mínima em seu fundo ESG, o FAMA FIC FIA. Desta maneira, o valor mínimo passou de 5 mil reais para 1 mil reais. 

O fundo FAMA FIC FIA é composto por entre 15 e 18 ações de empresas brasileiras escolhidas conforme os critérios da gestora, incluindo alinhamento com questões ESG. 

ESG: conheça o MBA da EXAME Academy para profissionais que querem se preparar para esse mercado promissor

A taxa de administração do fundo é de 2% ao ano e há ainda uma taxa de performance de 20% sobre o que exceder o Ibovespa. O fundo da FAMA apresentou um retorno anualizado de 21% ao ano desde o início, comparado com 14% ao ano do índice Bovespa. 

Segundo Fabio Alperowitch, cofundador e chefe de gestão, a redução do aporte mínimo visa atrair e viabilizar o acesso aos investidores da geração. Atualmente, cerca de 80% dos investidores da FAMA são institucionais e estrangeiros. 

“Esse novo valor abre as portas para que mais pessoas  possam investir em um fundo que segue critérios rígidos na questão de ética empresarial e sustentabilidade. Contudo, a inclusão financeira deve ser feita com responsabilidade, e a democratização de acesso não pode estar desacompanhada de educação - por conta do ativismo em redes sociais e posicionamentos públicos consolidados, entendemos que o momento já era adequado para promover esta democratização de forma responsável”, afirma.