Entenda, na prática, como a Renda Fixa pode gerar rentabilidades acima de 30%

Engana-se quem pensa que só é possível obter altos ganhos com investimentos através da renda variável. Conheça o mecanismo de marcação a mercado e entenda, na prática, como lucrar alto com a renda fixa.
 (Shutterstock/Shutterstock)
(Shutterstock/Shutterstock)
D
Da RedaçãoPublicado em 09/08/2022 às 11:00.

Recentemente, a notícia de que muitas pessoas estavam alcançando rentabilidades de mais de 30% através da Renda Fixa chocou aqueles investidores que ainda não conheciam os mecanismos e oportunidades por trás deste tipo de investimento.

Considerado um dos investimentos mais seguros do país, títulos como o Tesouro Direto se tornaram uma opção ideal para obter ganhos comparados à Renda Variável diante do cenário econômico brasileiro e global.

Mas, afinal, como isso é possível?

Existe um momento ideal para cada tipo de investimento e, de forma alguma, os investidores deveriam abandonar a Bolsa de Valores. No entanto, segundo Frederico Khouri, especialista do banco BTG Pactual, com a alta da SELIC (que chegou a 13,75% neste mês) estamos diante de uma oportunidade única de investir na Renda Fixa. Não é à toa que, no segundo trimestre de 2022, essa modalidade já representava 61% dos investimentos dos brasileiros, segundo a Anbima.

Até o final deste artigo, você entenderá como aumentar a rentabilidade da renda fixa através da marcação a mercado, tornando-a uma verdadeira mina de ouro para os seus rendimentos. Confira:

O que é e como funciona a marcação a mercado?

Marcação a mercado, o mecanismo através do qual é possível obter maiores rendimentos na renda fixa, significa reconhecer o preço de um ativo de renda fixa pelo seu valor justo. Na prática, funciona assim:

Imagine que você comprou um celular por US$ 400, o equivalente a R$ 2.000 (supondo que o dólar estava valendo R$5 à época). Depois de alguns meses da compra, o Brasil passa por instabilidades políticas e, de repente, a cotação do dólar sobe para R$ 6. O seu celular passa a valer,a partir daí, R$2400 (US$ 400 X R$6).

Porém, alguns meses depois, o Brasil se estabiliza e o dólar, que antes era R$6, passa a valer R$4. Sendo assim, o seu celular passa a valer R$1600. Em momento algum você precisou vender o seu celular para reconhecer o ganho ou a perda de valor, bastou apenas analisar o valor de compra e comparar com o valor atual justo do produto.

Se você tivesse vendido o seu celular quando o valor justo se tornou superior ao valor de compra, você teria lucrado R$400 via marcação a mercado; já se tivesse vendido quando o valor justo se tornou inferior ao valor de compra, teria perdido R$400 via marcação a mercado.

Em quais títulos de Renda Fixa investir para obter rentabilidades expressivas?

Apesar de hipotético, esse exemplo representa exatamente o que acontece com alguns títulos de renda fixa.

Em outro artigo, nós explicamos quais são as opções de títulos de renda fixa disponíveis para compra (caso você ainda não os conheça ou não lembre de todos, clique aqui para entender melhor).

Enquanto os títulos Pós-fixados e Tesouro SELIC oscilam o seu valor de maneira mais linear, os títulos prefixados ou os indexados à inflação são aqueles que mais sofrem marcação a mercado - como é o caso do Tesouro Prefixado e do Tesouro IPCA+, por exemplo. 

Marcação a mercado na prática:

Para o exemplo, imagine que você comprou hoje um Tesouro Prefixado 2025. Antes de mais nada, é importante lembrar que:

  1. A rentabilidade obtida será a diferença entre o preço no momento da compra e o valor bruto do título no seu vencimento;
  2. Toda unidade de título de Tesouro Prefixado valerá R$1000 no seu vencimento.

Se em 2025 o título deverá valer R$1000, o valor atual dele será ajustado conforme a taxa de remuneração.

Com a alta dos juros, a maior janela de oportunidades da renda fixa está aberta.  Saiba como escolher os títulos certos para aproveitar esse momento!

Por exemplo, uma unidade de Tesouro Prefixado 2025 comprado hoje a uma taxa de 13,75% (atual SELIC), valerá:

    • R$ 1000 em 2025
    • R$ 879 em 2024
    • R$ 772 em 2023
    • R$ 678 em 2022

    Ou seja, para receber em 2025 o valor final de R$1000 por unidade de título, você pagará R$678 na hora da compra, em 2022. 

    E o valor de compra depende diretamente do valor da taxa de remuneração. Se esse mesmo Tesouro Prefixado 2025 fosse adquirido a uma taxa menor, de 9,25%, ele valeria:

      • R$ 1000 em 2025
      • R$ 915 em 2024
      • R$ 837 em 2023
      • R$ 766 em 2022

      Ou seja, quando a taxa de um título sobe, o seu preço cai; quando a taxa de um título cai, o seu preço sobe. Mas afinal, onde está a grande oportunidade da renda fixa?

      Onde está a oportunidade da Renda Fixa ?

      A grande oportunidade está no fato de que essa taxa de remuneração oscila ao longo dos anos! Afinal, ela representa a média da SELIC esperada pelo mercado até a data de vencimento do título.

      Se a expectativa de SELIC média é 13,75%, como no exemplo, o preço do título é mais baixo. Mas se por algum motivo essa taxa diminuir (seja por uma queda na inflação ou pelo desaquecimento da economia), o valor do seu título aumentará em relação ao mercado. 

      Nos últimos 2 anos, o mundo passou por um período de atividade econômica desacelerada devido aos fechamentos parciais da economia global e aumento da oferta monetária pelos governos, a fim de oferecer auxílio àqueles que não podiam trabalhar.

      Conteúdo gratuito: descubra como se beneficiar dos ajustes da Selic com seus investimentos

      A combinação da baixa oferta com muito dinheiro sendo injetado na economia levou os preços às alturas. Não é à toa que os índices inflacionários estão batendo recordes no mundo todo. Para conter a inflação, fica a cargo do Banco Central utilizar um instrumento de política monetária clássico, que é elevar a taxa básica de juros (SELIC). E foi justamente isso que aconteceu no Brasil. 

      A boa notícia é que, segundo economistas e especialistas de mercado, estamos nos aproximando do fim de um ciclo de alta das taxas de juros. 

      Ou seja, a tendência é de que, ao longo dos próximos meses e anos, as taxas de juros diminuam conforme a economia desacelera. Como consequência, os títulos comprados a maiores taxas terão a tendência de se valorizarem, abrindo portas para rendimentos expressivos.

      Como escolher os melhores títulos para investir?

      Para ajudar o investidor a encontrar e aproveitar as oportunidades ainda disponíveis da renda fixa, a EXAME e o BTG Pactual prepararam a Masterclass Gratuita “A Janela da Renda Fixa”. 

      Marcada para acontecer no dia 11 de agosto, às 19h30, a aula será comandada por Frederico Khouri, especialista em renda fixa e Associate Director na área de Credit research do BTG Pactual. Para participar, basta se cadastrar gratuitamente clicando aqui. 

      Na aula, o investidor entenderá:

      • Como se proteger da inflação utilizando a renda fixa;
      • Como encontrar os títulos certos de renda fixa;
      • Como fugir das armadilhas dos títulos ruins;
      • Como montar uma carteira com alto rendimento para os próximos anos;
      • Como aumentar os ganhos dentro da renda fixa sem aumentar o risco
      • Onde está de verdade a oportunidade de renda fixa agora!

      Com anos de experiência no mercado financeiro, Khouri é responsável pelas análises de ofertas primárias e mercado secundário de ativos de crédito privado corporativo, além de análises para crédito privado bancário. 

      QUERO PARTICIPAR DA MASTERCLASS GRATUITA E DESCOBRIR AS PRINCIPAIS OPORTUNIDADES DA RENDA FIXA