23 ações que pagam dividendos mais indicadas para agosto, Petrobras (PETR4) está na lista

Levantamento feito pela EXAME Invest mostra as ações mais recomendadas por oito corretoras para este mês
Dividendos: a companhia pagará R$ 88 bilhões em dividendos a seus acionistas detentores tanto das ações preferenciais quanto das ordinárias (Sergio Moraes/Reuters)
Dividendos: a companhia pagará R$ 88 bilhões em dividendos a seus acionistas detentores tanto das ações preferenciais quanto das ordinárias (Sergio Moraes/Reuters)
Karla Mamona
Karla Mamona

Publicado em 03/08/2022 às 14:42.

Última atualização em 04/08/2022 às 14:26.

As ações da Vale (VALE3) lideram o ranking das recomendações de bancos, corretoras e casas de análise para o mês de agosto como pagadoras de dividendos. Os papéis foram citados em cinco das oito carteiras consultadas pela EXAME Invest. Em seguida, com quatro indicações, aparece os papéis do Banco do Brasil (BBAS3).Com três indicações estão as ações da Taesa (TAEE11),  Telefônica Vivo (VIVT3) e Petrobras (PETR3) e (PETR4). 

Sobre a Vale, os analistas afirmaram que após recente solavanco do minério de ferro no mercado internacional, a commodity negociada na China voltou a subir nos últimos dias de julho, com os investidores ainda balanceando o risco de menor demanda pela commodity (fruto de uma possível desaceleração global da economia) e a oferta ainda restrita de minério no mercado internacional. Com isso, os analistas do Santander afirmam que seguem com uma visão positiva sobre os preços do minério de ferro a médio prazo, pois a tese é orientada pela oferta, uma vez que os persistentes desafios de suprimento devem sustentar os preços do minério de ferro acima de 100 dólares por tonelada por mais tempo”, disse o Santander em relatório.

Newsletter EXAME Invest: cadastre-se gratuitamente e receba as principais notícias da semana que impactam o mercado financeiro e os seus investimentos

Já sobre o Banco do Brasil, a equipe de analistas do BTG Pactual disse que reconhece os riscos de ser um banco estatal. Entretanto, apesar de enfrentar desafios de governança devido à possível interferência do governo em sua estratégia de alocação de capital, eles acreditam que a recomendação de compra se adequa a qualquer cenário político.

“O balanço patrimonial é robusto, com um sólido momentum de resultados à frente. O BB não está imune à intervenção política, mas parece ter várias formas de se manter protegido. Na nossa experiência de cobertura do setor bancário desde 2008, um período em que a política de expansão dos bancos públicos realmente começou, mostra que pode levar muito tempo para um banco com um balanço sólido e bons resultados começarem a se deteriorar." Disseram ainda que no valuation atual, se o BB mantiver o lucro estável em termos nominais (premissa conservadora) e manter o payout em 40%, em menos de 10 anos os investidores terão de volta todo o valor de mercado em dividendos.

Em relação a Petrobras, a companhia pagará R$ 88 bilhões em dividendos a seus acionistas detentores tanto das ações preferenciais quanto das ordinárias. Serão pagos R$ 6,732 por papel. A data de corte (data com) será 11 de agosto, ou seja, terão direito a receber o pagamento apenas os investidores que tenham posse das ações até esta data. A partir do dia 12 de agosto, as ações serão negociadas sem direito (data-ex) aos dividendos já anunciados.

"O anúncio de R$ 135 bilhões em dividendos (acumulado do ano) relacionados aos resultados de 2022 é uma prova da capacidade de criação de valor da Petrobras, bem como um plano de reestruturação bem executado que começou em 2016. Os fundamentos podem superar o ruído político", finalizou a equipe de analistas do BTG.
Veja tabela de indicações abaixo: 
Ação Recomendação
Vale (VALE3) 5
Banco do Brasil (BBAS3) 4
Taesa (TAEE11) 3
Telefonica Vivo (VIVT3) 3
BB Seguridade (BBSE3) 2
CPFL (CPFL3) 2
Minerva (BEEF3) 2
Petrobras (PETR4) 2
Cemig (CMIG4) 1
TIM (TIMS3) 1
Vibra (VBBR3) 1
Itaúsa (ITSA4) 1
ISA CTEEP (TRPL4) 1
Copasa (CSMG3) 1
Energias BR (ENBR3) 1
Itaú Unibanco (ITUB4) 1
Porto Seguro (PSSA3) 1
B3 (B3SA3) 1
Unipar (UNIP6) 1
Bradesco (BBDC4) 1
Petrobras (PETR3) 1
Copel (CPLE6) 1
Engie (EGIE3) 1

 

Ágora Investimentos
Desempenho em julho: -3,80%
Desempenho no ano: -9,80%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (%)
Banco do Brasil (BBAS3) 20
Cemig (CMIG4) 20
TIM (TIMS3) 20
Vale (VALE3) 20
Vibra Energia (VBBR3) 20

Elite

Desempenho em julho: 2,90%
Desempenho em 2022: 9,46%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (%)
BB Seguridade (BBSE3) 20
Itaúsa (ITSA4) 20
ISA CTEEP (TRPL4) 20
Taesa (TAEE11) 20
Telefônica Vivo (VIVT3) 20

Guide Investimentos

Desempenho em julho: 5,72%
Desempenho em 2022: 3,19%
Ações excluídas: EDP
Ações incluídas: Minerva

Ação Peso (%)
Banco do Brasil (BBAS3) 20
CPFL (CPFL3) 20
Minerva (BEEF3) 20
Petrobras (PETR4) 20
Vale (VALE3) 20

Genial

Desempenho em julho: 6,57%
Desempenho em 2022: 6,49%
Ações excluídas: BB Seguridade e Taesa
Ações incluídas: Copasa e Porto Seguro

Ação Peso (%)
Copasa (CSMG3) 20
CPFL Energia (CPFE3) 20
Energias BR (ENBR3) 20
Itaú Unibanco (ITUB4) 20
Porto Seguro (PSSA3) 20

Nova Futura

Desempenho em julho: -6,65%
Desempenho no ano: 9,84%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (%)
B3 (B3SA3) 20
Taesa (TAEE11) 20
Telefônica Brasil (VIVT3) 20
Unipar (UNIP6) 20
Vale (VALE3) 20

Planner

Desempenho em julho: 5,62%
Desempenho em 2022: 9%
Ações excluídas:Arezzo
Ações incluídas: Telefônica Vivo

Ação Peso (%)
BB Seguridade (BBSE3) 20
Bradesco (BBDC4) 20
Petrobras (PETR4) 20
Taesa (TAEE11) 20
Vale (VALE3) 20

Santander

Desempenho em julho: 4,57%
Desempenho em 2022: 12,31%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (%)
Banco do Brasil (BBAS3) 20
CPFL Energia (CPFE3) 20
Minerva Foods (BEEF3) 20
Petrobras (PETR3) 20
Vale (VALE3) 20

Terra

Desempenho em julho: 0,65%
Desempenho em 2022: 12,34%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (%)
Banco do Brasil (BBAS3) 20
Bradespar (BRAP4) 20
Copel PNB (CPLE6) 20
Engie (EGIE3) 20
Telefônica Vivo (VIVT3) 20