21 ações que pagam dividendos mais indicadas para julho, Vale (VALE3) está na lista

Levantamento feito pela EXAME Invest mostra as ações mais recomendadas por oito corretoras para este mês
Dividendos: algumas ações indicadas têm bom histórico de pagamento de dividendos (Germano Lüders/Exame)
Dividendos: algumas ações indicadas têm bom histórico de pagamento de dividendos (Germano Lüders/Exame)
Karla Mamona
Karla Mamona

Publicado em 04/07/2022 às 16:56.

Última atualização em 28/07/2022 às 15:24.

As ações do Banco do Brasil (BBAS3), Vale (VALE3), Taesa (TAEE11) e Telefônica Vivo (VIVT3) lideram o ranking das recomendações de bancos, corretoras e casas de análise para o mês de julho como pagadoras de dividendos. Os papéis foram citados em quatro das oito carteiras consultadas pela EXAME Invest.

Sobre o Banco do Brasil (BBAS3), os analistas têm ressaltado que apesar do banco ter crescido menos que seus pares nos últimos anos, sua carteira de crédito tem um perfil de risco mais baixo, com mais agro e menos empréstimos ao consumidor sem garantias. A aprovação da nova lei sobre empresas estatais, durante o governo Temer, também aumentou a proteção às empresas públicas. De acordo com BTG Pactual, se o BB mantiver o lucro estável em termos nominais e o payout em 40%, em menos de dez anos, o investidor receberá de volta todo o valor de mercado em dividendos.

“Apesar do potencial ruído político das próximas eleições, depois de cair 9% no mês passado e negociando a 3,7x P/L [preço lucro] em 2022 [11% de dividend yield], acreditamos que o BBAS é muito barato para ser ignorado.”

Sobre a Vale (VALE3), os analistas da Ágora afirmam que o desempenho recente das ações da Vale tenha sido exageradamente negativo. De acordo com eles, os preços de minério de ferro permaneceram resilientes no primeiro semestre do ano, ainda refletindo a menor oferta, a diminuição dos estoques da commodity e a sólida produção de aço chinesa (que não se deteriorou significativamente, mesmo com as restrições relacionadas à covid-19), enquanto uma recuperação na demanda por aço no terceiro trimestre e a expectativa de melhor lucratividade para as siderúrgicas devem fornecer alguma sustentação aos preços do minério de ferro.

Eles estimam que os preços do minério de ferro em uma média de US$ 140/tonelada em 2022 (ante US$ 130 anteriormente), corrigindo para US$ 110 em 2023 à medida que a oferta aumente.

“O ambiente de preços do minério de ferro acima da média deve continuar sustentando a saudável geração de caixa de US$ 16 bilhões e US$ 12 bilhões em 2022 e 2023, respectivamente, se traduzindo em forte remuneração aos acionistas de mais de 20% (entre dividendos e recompras de ações). Nos níveis atuais, vemos VALE3 negociando ao redor de 3,5x o múltiplo EV/EBITDA para 2023, ante o nível de 4,5x que consideraríamos justos para este momento do ciclo.”

Em relação a Taesa, a companhia tem feito fortes investimentos na construção de novas linhas de transmissão e tem participado ativamente dos leilões de linhas de transmissão. De acordo com os analistas da corretora Elite, se por um lado novas concessões garantem o fluxo futuro de receita da companhia e sua perenidade, por outro lado demandam caixa e aumentam a alavancagem da companhia. Assim, muitos investidores se questionam sobre a sustentabilidade desses dividendos no longo prazo. No entanto, segundo sua administração, a companhia segue trabalhando com foco no equilíbrio entre a alavancagem, investimentos e dividendos. E apesar dos novos investimentos, a companhia manteve o compromisso de sua estrutura de dívida da empresa “montada para dividendos fortes”.

“Ainda segundo seu management, com margens elevadas, é certo que estes investimentos de agora garantirão o crescimento da companhia e sua desalavancagem. É razoável esperar uma distribuição previsível e alta dos dividendos da Taesa”. A companhia remunerou os seus investidores com um montante de R$ 1,79 bilhão referente ao exercício social de 2021. Trata-se de uma pagamento de R$ 5,20 por unit, equivalente a um payout de 80,9% do lucro líquida da empresa. “A transmissora de energia elétrica reforçou seu modelo de negócios ao garantir que não irá vender seus ativos nem fará reciclagem em seu portfólio, mas que irá focar no crescimento via aquisições, com a participação em leilões e outros projetos”, acrescentou a Elite.

Por fim, a Telefônica Vivo (VIVT3), bom histórico de pagamento de proventos e apresentou qualidade dos resultados da companhia. Veja tabela abaixo: 

Ação Recomendação
Banco do Brasil (BBAS3) 4
Vale (VALE3) 4
Taesa (TAEE11) 4
Telefônica Vivo (VIVT3) 4
BB Seguridade (BBSE3) 3
CPFL (CPFL3) 2
EDP Brasil (ENBR3) 2
Cemig (CMIG4) 1
TIM (TIMS3) 1
Vibra Energia (VBBR3) 1
Itaúsa (ITSA4) 1
ISA CTEEP (TRPL4) 1
Itaú Unibanco (ITUB4) 1
B3 (B3SA3) 1
Unipar (UNIP6) 1
Arezzo (ARZZ3) 1
Bradesco (BBDC4) 1
Minerva Foods (BEEF3) 1
Bradespar (BRAP4) 1
Copel (CPLE6) 1
Engie (EGIE3) 1

 

Ágora Investimentos

Desempenho em junho:-9,80%
Desempenho no ano: -3,80%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (em %)
Banco do Brasil (BBAS3) 20%
Cemig (CMIG4) 20%
TIM (TIMS3) 20%
Vale (VALE3) 20%
Vibra Energia (VBBR3) 20%

Elite

Desempenho em junho: -6,76%
Desempenho em 2022: 6,38%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (em %)
BB Seguridade (BBSE3) 20%
Itaúsa (ITSA4) 20%
ISA CTEEP (TRPL4) 20%
Taesa (TAEE11) 20%
Telefônica Vivo (VIVT3) 20%

Guide Investimentos

Desempenho em junho: -8,53%
Desempenho em 2022: -2,39%
Ações excluídas: TIM
Ações incluídas: CPFL

Ação Peso (em %)
Banco do Brasil (BBAS3) 20%
CPFL (CPFL3) 20%
EDP Brasil (ENBR3) 20%
Petrobras (PETR4) 20%
Vale (VALE3) 20%

Genial

Desempenho em junho:-14,02%
Desempenho em 2022: -0,08%
Ações excluídas: Gerdau, SYN PROP e Vale
Ações incluídas: CPFL Energia, Energias BR e Taesa

Ação Peso (em %)
BB Seguridade (BBSE3) 20%
CPFL Energia (CPFE3) 20%
Energias BR (ENBR3) 20%
Itaú Unibanco (ITUB4) 20%
Taesa (TAEE11). 20%

Nova Futura

Desempenho em junho: -11,84%
Desempenho no ano: 17,66%
Ações excluídas: Gerdau e CTEEP Cia Transm Energia Eletr Paulista
Ações incluídas: Vale e Taesa

Ação Peso (em %)
B3 (B3SA3) 20%
Taesa (TAEE11) 20%
Telefônica Vivo (VIVT3) 20%
Unipar (UNIP6) 20%
Vale (VALE3) 20%

Planner

Desempenho em junho:-8,18%
Desempenho em 2022: 3,20%
Ações excluídas: Banco do Brasil, Banrisul, Ferbasa e M.Dias Branco
Ações incluídas: Arezzo, BB seguridade, Bradesco e Taesa

Ação Peso (em %)
Arezzo (ARZZ3) 20%
BB Seguridade (BBSE3) 20%
Bradesco (BBDC4) 20%
Taesa (TAEE11) 20%
Telefônica Vivo (VIVT3) 20%

Santander

Desempenho em junho: : -8,89%
Desempenho em 2022: 7,40%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (em %)
Banco do Brasil (BBAS3) 20%
CPFL Energia (CPFE3) 20%
Minerva Foods (BEEF3) 20%
Petrobras (PETR3) 20%
Vale (VALE3) 20%

Terra

Desempenho em junho: -8,51%
Desempenho em 2022: +11,69%
Não houve alteração na carteira.

Ação Peso (em %)
Banco do Brasil (BBAS3) 20%
Bradespar (BRAP4) 20%
Copel PNB (CPLE6) 20%
Engie (EGIE3) 20%
Telefônica Vivo (VIVT3) 20%

Leia também: Guia completo para investir no Tesouro Direto