Uso de um mesmo imóvel em mais de uma garantia vai baratear crédito

Segundo Campos Neto, o governo está "só no começo" e tem "muitas medidas" para melhorar eficiência do sistema financeiro
Campos Neto: pontuou que um segundo grupo de medidas, dentro do marco legal, mira regras que disciplinam a alienação fiduciária, a execução extrajudicial dos créditos garantidos por hipoteca, a execução extrajudicial em caso de concurso de credores (Adriano Machado/Reuters)
Campos Neto: pontuou que um segundo grupo de medidas, dentro do marco legal, mira regras que disciplinam a alienação fiduciária, a execução extrajudicial dos créditos garantidos por hipoteca, a execução extrajudicial em caso de concurso de credores (Adriano Machado/Reuters)
R
ReutersPublicado em 25/11/2021 às 14:57.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira que o novo marco legal de garantias lançado pelo governo possibilitará que um mesmo imóvel sirva de garantia a mais de uma operação, com potencial de favorecer a redução dos prazos e valores médios dos empréstimos garantidos pelo ativo.

Em evento no Palácio do Planalto, ele pontuou ainda que um segundo grupo de medidas, dentro do marco legal, mira regras que disciplinam a alienação fiduciária, a execução extrajudicial dos créditos garantidos por hipoteca, a execução extrajudicial em caso de concurso de credores, a impenhorabilidade dos bens de família e a instituição do agente de garantias.

Segundo Campos Neto, o governo está "só no começo" e tem "muitas medidas" para melhorar eficiência do sistema financeiro.