Invest

Somos em 7 irmãos e minha mãe fez um testamento para uma única filha. Quais são meus direitos?  

Especialista responde dúvida de leitor sobre imóveis. Envie você também suas perguntas

 (Getty/Getty Images)

(Getty/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 23 de abril de 2024 às 07h32.

Última atualização em 24 de abril de 2024 às 12h10.

Tudo sobreHerança
Saiba mais

Pergunta do leitor: Meu pai faleceu e a casa que ficou de herança deverá ser dividida entre 7 filhos e minha mãe. Minha mãe fez um testamento passando a parte dela na casa para uma filha que cuida dela. Esse testamento pode ser impedido?

*Resposta de Marcelo Tapai

Caro leitor, embora o testamento seja uma declaração unilateral de manifestação de última vontade por meio do qual o testador poderá dispor de seus bens, a lei impõe limites para isso.

O autor da herança somente poderá dispor livremente de 50% dos seus bens por meio do testamento, sendo que este cálculo é feito no momento em que o instrumento é formalizado, e não o momento de seu falecimento.

Pelo menos metade dos bens deve ser destinada de forma obrigatória a seus herdeiros necessários, que são seus ascendentes, descendentes e cônjuge/companheiro.

*Marcelo Tapai é advogado, professor de Direito e diretor do Brasilcon (Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor). Especialista em Direito Imobiliário, Contratual e do Consumidor, é autor de livros, palestrante, autor da cartilha do Procon de orientações para compra de imóveis novos e usados, membro do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), e foi vice-presidente da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor da OAB/SP. Também é bacharel em Comunicação Social.

 

 

Acompanhe tudo sobre:HerançaDinheiroFamíliaDireito familiarDireito

Mais de Invest

Ibovespa opera em alta e recupera os 128 mil pontos com CPI surpreendente

CSU Digital (CSUD3) paga JCP nesta quinta-feira; veja se você tem direito

CPI dos EUA, vendas do varejo e repercussão de reforma tributária: o que move o mercado

Como um fundo gerido por robôs tem superado a crise dos multimercados

Mais na Exame