• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 60,46 +0,00%
  • Ouro 1.750,70 +0,00%
  • Prata 25,55 +0,00%
  • Platina 1.209,30 +0,00%

Relembre entrevista que Shiller, novo Nobel, deu a EXAME.com

Vencedor do Nobel de Economia de 2013, Robert Shiller falou a EXAME.com recentemente sobre uma possível bolha imobiliária no Rio de Janeiro

São Paulo - Um dos pais das finanças comportamentais e responsável por "prever" a bolha imobiliária americana recebeu o Prêmio Nobel de Economia em 2013. Robert Shiller, professor da Universidade de Yale, concedeu, recentemente, uma entrevista a EXAME.com, falando um pouco sobre o mercado imobiliário brasileiro e sobre a formação de uma possível bolha imobiliária no Rio de Janeiro.

Na mesma entrevista, Shiller também fala um pouco sobre como deve ser o comportamento do pequeno investidor de sucesso, tendo em vista que a irracionalidade toma conta da maior parte das decisões humanas; e de seu último livro "Finanças para a boa sociedade", em que ele que o Capitalismo Financeiro seja usado para reduzir as desigualdades no mundo, além do aumento de impostos para os mais ricos.

Shiller antecipou a fomação de uma bolha no mercado de ações de empresas de internet nos EUA no ano 2000 e também a formação da bolha imobiliária americana que desencadeou a crise de 2007 e 2008. É também um dos responsáveis pelo Índice Case-Shiller, que acompanha os preços dos imóveis nos EUA.

Robert Shiller recebeu o prêmio Nobel junto com Eugene Fama e Lars Peter Hansen, ambos professores da Universidade de Chicago. Os três foram premiados por estudos mostrando que o comportamento dos preços de ações e títulos de dívida são imprevisíveis no curto prazo, mas que criam padrões em períodos mais longos, de três a cinco anos.

No início dos anos 1960, Eugene Fama e outros colaboradores demonstraram que os preços das ações eram extremamente difíceis de prever no curto prazo, e que novas informações eram rapidamente incorporadas nos preços.

No início dos anos 1980, foi a vez de Shiller descobrir que os preços das ações flutuam muito mais que os dividendos, e que a razão entre preços e dividendos tende a cair quando está alta e a subir quando está baixa, o que se aplica não só a ações, mas também a títulos e outros ativos.

Sendo um dos pais das finanças comportamentais, que propõem que muitas das decisões dos investidores no mercado não são racionais, Shiller mostrou que a grande flutuação nos preços dos ativos é influenciada por uma série de fatores irracionais, o que leva, por exemplo, à formação de bolhas.

Já Hansen desenvolveu um método estatístico para testar teorias racionais de precificação de ativos. Com outros pesquisadores, mostrou como o princípio poderia ser aplicado a muitos modelos macroeconômicos e financeiros.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.