• AALR3 R$ 20,11 -0.94
  • AAPL34 R$ 67,41 0.07
  • ABCB4 R$ 16,76 0.66
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.06
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,71 0.85
  • AGRO3 R$ 31,08 -0.10
  • ALPA4 R$ 20,18 -3.12
  • ALSO3 R$ 19,28 1.42
  • ALUP11 R$ 27,39 0.29
  • AMAR3 R$ 2,37 -1.25
  • AMBP3 R$ 29,48 -2.71
  • AMER3 R$ 21,95 -4.06
  • AMZO34 R$ 64,79 1.60
  • ANIM3 R$ 5,38 0.37
  • ARZZ3 R$ 78,87 -1.17
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,74 -2.33
  • BBAS3 R$ 37,25 -1.46
  • AALR3 R$ 20,11 -0.94
  • AAPL34 R$ 67,41 0.07
  • ABCB4 R$ 16,76 0.66
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.06
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,71 0.85
  • AGRO3 R$ 31,08 -0.10
  • ALPA4 R$ 20,18 -3.12
  • ALSO3 R$ 19,28 1.42
  • ALUP11 R$ 27,39 0.29
  • AMAR3 R$ 2,37 -1.25
  • AMBP3 R$ 29,48 -2.71
  • AMER3 R$ 21,95 -4.06
  • AMZO34 R$ 64,79 1.60
  • ANIM3 R$ 5,38 0.37
  • ARZZ3 R$ 78,87 -1.17
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,74 -2.33
  • BBAS3 R$ 37,25 -1.46
Abra sua conta no BTG

Parcela do financiamento de imóveis fica mais barata. Confira por segmento

Contudo, menos compradores conseguem arcar com o custo na cidade de São Paulo, segundo pesquisa do Datazap
Pandemia provocou redução no poder de compra na comparação entre o 3º trimestre de 2020 e o mesmo período de 2019 (Exame/Germano Lüders)
Pandemia provocou redução no poder de compra na comparação entre o 3º trimestre de 2020 e o mesmo período de 2019 (Exame/Germano Lüders)
Por RedaçãoPublicado em 19/04/2021 17:21 | Última atualização em 19/04/2021 17:21Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Apesar do valor das parcelas do financiamento de imóveis estarem menores, a renda das famílias sofreu impacto com a pandemia, reduzindo o poder de compra da população da cidade de São Paulo. É o que conclui a DataZAP, braço de inteligência imobiliária de ZAP+.

Segundo a simulação, todas as categorias de imóveis estudados apresentaram uma queda no preço da primeira parcela, em teoria, ficando mais acessíveis na comparação entre o terceiro trimestre de 2020 e o mesmo período de 2019.

Interessado em investir em fundos imobiliários? Participe da Semana da Renda Vitalícia promovida pela EXAME Academy

Para demonstrar a queda no preço a pesquisa dividiu os imóveis em quatro categorias, de acordo com seus preços na capital paulista no 3º trimestre de 2020: econômico popular, de R$ 330 mil; médio padrão, de R$ 465 mil; médio-alto padrão, de R$ 750 mil; e alto padrão, de R$ 1 milhão. Os preços foram corrigidos com base no índice FipeZAP.

A diminuição do valor foi mais acentuada para as unidades mais caras: enquanto o preço no imóvel econômico popular caiu R$ 86, o médio padrão reduziu R$ 123, o médio-alto passou a valer R$ 264 a menos e o de alto padrão ficou R$ 353 mais barato.Pesquisa Datazap sobre preço de 1ª parcela

Pesquisa Datazap sobre preço de 1ª parcelaAs premissas que permitiram calcular a primeira parcela foram: taxa de juros média das operações de financiamentos de 7% ao ano, entrada média de 20% (ou seja, financiamento de 80% do valor total do imóvel), e prazo de 30 anos para o pagamento. Na simulação o sistema de amortização é constante e os juros são pré-fixados.

Já para avaliar o número de pessoas com capacidade de compra a simulação usou os dados de renda disponíveis na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) dos últimos anos e considerou a renda familiar estável em cada trimestre avaliado

A partir dos valores da primeira parcela simulada, da premissa que as famílias têm reservas financeiras o suficiente para arcar com a entrada e admitindo que os consumidores comprometem no máximo 30% da renda mensal com a compra de um imóvel, estimou-se a quantidade de pessoas em domicílios capazes de arcar com o financiamento.

Pesquisa Datazap sobre parcela do imóvel

Pesquisa Datazap sobre parcela do imóvel (Datazap/Reprodução)

Os valores desse exercício são cumulativos, de modo que quem consegue adquirir um imóvel de alto padrão também consegue comprar um de médio-alto padrão, e assim por diante.

Segundo Danilo Igliori, economista do FipeZap, uma parcela menor permite maior acesso ao mercado de compra; mas, em compensação, uma redução da renda das famílias pode mais do que contrabalancear o efeito da queda do preço da parcela. "Mesmo com a baixa histórica da Selic e taxas de financiamento convidativas, que resultam em parcelas mais acessíveis, percebemos na verdade uma queda na quantidade de pessoas com capacidade de arcar com o custo de imóveis de médio-alto e alto padrões'', conclui.