Meu pai ficou viúvo e quer vender um terreno. Precisa fazer inventário?

Especialista responde dúvida de leitor sobre imóveis. Envie você também suas perguntas
Homem com dúvida: no regime parcial ou de comunhão total de bens, é necessário fazer o inventário antes da venda do terreno (Andersen Ross Photography Inc/Getty Images)
Homem com dúvida: no regime parcial ou de comunhão total de bens, é necessário fazer o inventário antes da venda do terreno (Andersen Ross Photography Inc/Getty Images)
M
Marcelo Tapai, especialista em Direito Imobiliário

Publicado em 11/09/2022 às 07:00.

Última atualização em 12/09/2022 às 18:29.

Dúvida do leitor: Meu pai ficou viúvo e é proprietário de cinco lotes que foram adquiridos durante o seu casamento, em seu nome. Ele quer vender um desses lotes. Precisa fazer inventário? Ele tem cinco filhos.

Resposta de Marcelo Tapai*

O inventário, seja judicial ou extrajudicial, é o procedimento utilizado para apuração dos bens, direitos e dívidas do falecido, tornando-se obrigatório quando o falecido deixar um patrimônio ativo (formado pelos seus bens e direitos) e passivo (composto pelos débitos e obrigações).

Caso a pessoa que faleceu não tenha deixado nenhum desses dois patrimônios, o inventário não é necessário. Importante lembrar se houver algum filho menor, o inventário necessariamente tem que ser judicial.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Entretanto, para que a partilha desse patrimônio seja realizada corretamente, deverá ser observado o regime de casamento adotado pelo casal, pois poderá interferir diretamente na distribuição dos bens a todos os herdeiros.

Nos regimes de comunhão parcial ou universal de bens, independentemente do bem se encontrar em nome de apenas um dos cônjuges, se esse foi adquirido após o casamento, constituirá o patrimônio comum de ambos e, consequentemente, haverá a necessidade de fazer o inventário.

*Marcelo Tapai é advogado, professor de Direito e diretor do Brasilcon (Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor). Especialista em Direito Imobiliário, Contratual e do Consumidor, é autor de livros, palestrante, autor da cartilha do Procon de orientações para compra de imóveis novos e usados, membro do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), e foi vice-presidente da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor da OAB/SP. Também é bacharel em Comunicação Social.

Veja Também

Viagem por R$ 1? Black Friday do Hurb tem promoção no app
Minhas Finanças
Há uma semana • 1 min de leitura

Viagem por R$ 1? Black Friday do Hurb tem promoção no app

5 dicas para usar o cartão de crédito de forma inteligente
BTG Insights
Há uma semana • 5 min de leitura

5 dicas para usar o cartão de crédito de forma inteligente

Nath Finanças lança streaming de educação financeira
Minhas Finanças
Há 2 semanas • 2 min de leitura

Nath Finanças lança streaming de educação financeira

Viajar ao exterior fica em média 59% mais caro neste ano
Minhas Finanças
Há 2 semanas • 7 min de leitura

Viajar ao exterior fica em média 59% mais caro neste ano