• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6827 +0,0019
  • EUR 6,7683 +0,0067
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 63,75 +1,27%
  • Ouro 1.741,60 -0,18%
  • Prata 25,23 -0,38%
  • Platina 1.192,10 -1,42%

Juros do cartão de crédito têm maior taxa desde 1996

As elevações dos juros no mês são resultados do cenário econômico que aumenta o risco do crescimento da inadimplência

São Paulo - As taxas de juros das operações de crédito subiram em setembro deste ano, a 12ª elevação consecutiva, apontou hoje a Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac). A principal alta média foi no financiamento de automóveis, de 2,80% no mês, em seguida no cartão de crédito, alta de 1,65%.

Na avaliação do diretor-executivo de Estudos e Pesquisas Econômica da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, as elevações dos juros no mês são resultados do cenário econômico que aumenta o risco do crescimento da inadimplência.

Isso porque os índices de inflação continuam elevados, com aumento dos impostos e dos índices de desemprego.

Além disso, ele cita o rebaixamento da nota de crédito do Brasil promovida pela agência Standard and Poor’s (S&P).

A maior variação do juro do crediário aconteceu no Estado de São Paulo, alta de 0,39% no mês. A média nacional foi de 0,38%. Já o setor que apresentou maior alta no financiamento foi o de automóveis, com alta de 2,80% no mês na comparação com agosto.

Pessoa Física

As seis linhas de crédito pesquisadas para pessoa física sofreram elevação de suas taxas de juros no mês: juros do comércio, cartão de crédito rotativo, cheque especial, CDC-bancos-financiamento de veículos, empréstimo pessoal-bancos e empréstimo pessoal-financeiras.

A taxa média passou de 7,14% ao mês (128,78% ao ano) em agosto para 7,23% ao mês (131,10% ao ano) em setembro, a maior taxa desde junho de 2009.

A taxa de juros média aumentou 0,09 ponto percentual no mês (2,32 pontos percentuais no ano), o que corresponde a uma alta de 1,26%. Em 12 meses, a alta já acumula 1,80%. 

A principal alta média foi no financiamento de automóveis, de 2,80% no mês, com o juro médio passando de 2,14% ao mês (28,93% ao ano), para 2,20% ao mês (29,84% ao ano).

Em seguida, o maior aumento de juros foi no cartão de crédito, alta de 1,65%. O juro médio do serviço passou de 13,37% ao mês (350,79% ao ano) em agosto, para 13,59% ao mês (361,40% ao ano) em setembro. Este é o juro mais alto do cartão de crédito desde março de 1996.

Pessoa Jurídica

As três linhas de crédito pesquisadas tiveram taxas de juros mais altas. A taxa média passou de 4,09% ao mês (61,77% ao ano) em agosto para 4,12% ao mês (62,33% ao ano) em setembro, a maior desde maio de 2009.

A alta foi de 0,03 ponto percentual no mês (0,56 ponto percentual em doze meses) correspondente a uma elevação de 0,73% no mês (0,91% em doze meses).
A maior variação foi no capital de giro, cujo juros aumentou 1,67% no mês.

Juros x Selic

Entre março de 2013 e setembro deste ano, a taxa básica de juros Selic se elevou 7 pontos percentuais (elevação de 96,55%), de 7,25% ao ano em janeiro de 2013 para 14,25% ao ano em setembro de 2015.

No mesmo período, a taxa média para pessoa física aumentou 43,13 pontos percentuais (elevação de 49,03%) de 87,97% ao ano em março de 2013 para 131,10% ao ano em setembro de 2015.

Já nas operações de crédito para pessoa jurídica, a alta foi de 18,75 pontos percentuais (elevação de 43,02%) de 43,58% ao ano em março de 2013 para 62,33% ao ano em setembro de 2015.

Perspectiva 

Para o futuro, a Anefac aponta para o risco do aumento da inadimplência e prevê novas altas das taxas de juros das operações de crédito.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.