IR 2022: Receita abre consulta ao último lote da restituição nesta sexta-feira; veja como consultar

O crédito bancário para 1.220.501 contribuintes será realizado no dia 30 de setembro, no valor total de RS 1,9 bilhão
Receita Federal: a liberação desse lote, foi concluído de pagamento de todas as restituições do exercício 2022 que não apresentaram inconsistência (Marcello Casal/Agência Brasil)
Receita Federal: a liberação desse lote, foi concluído de pagamento de todas as restituições do exercício 2022 que não apresentaram inconsistência (Marcello Casal/Agência Brasil)
Karla Mamona
Karla MamonaPublicado em 23/09/2022 às 10:13.

A partir das 10 horas desta sexta-feira, 23, o quinto lote de restituição do Imposto de Renda 2022 estará disponível para consulta. Esse lote contempla também restituições residuais de exercícios anteriores. O crédito bancário para 1.220.501 contribuintes será realizado no dia 30 de setembro, no valor total de RS 1,9 bilhão.

Desse total, R$ 221.130.324,62 referem-se ao quantitativo de contribuintes que têm prioridade legal, sendo 5.201 contribuintes idosos acima de 80 anos, 36.492 entre 60 e 79 anos, 4.247 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 15.378 cuja maior fonte de renda seja o magistério. Foram contemplados ainda 1.159.183 não prioritários.

Como consultar

Para saber se a restituição está disponível, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, clicar em "Meu Imposto de Renda" e, em seguida, em "Consultar a Restituição". A página apresenta orientações e os canais de prestação do serviço, permitindo uma consulta simplificada ou uma consulta completa da situação da declaração, por meio do extrato de processamento, acessado no e-CAC.

Se identificar alguma pendência na declaração, o contribuinte pode fazer a retificação, corrigindo as informações que porventura estejam equivocadas.

Malha fina

A Receita ressalta que com a liberação desse lote, foi concluído de pagamento de todas as restituições do exercício 2022 que não apresentaram inconsistência.  Dessa maneira, quem não está neste último lote caiu na malha fina.

Durante o mês de setembro, a Receita está emitindo 444 mil correspondências para contribuintes com declarações na malha fina. O objetivo é avisar que, em caso de erro na declaração apresentada, este é o momento para providenciar a correção, apresentando declaração retificadora. 

Entre março e setembro de 2022, a Receita Federal recebeu 38.188.642 declarações do IRPF 2022, ano-base 2021. Dessas, 1.032.279 declarações foram retidas em malha. Esse número representa 2,7% do total de documentos entregues. São 811.782 declarações com Imposto a Restituir (IAR), representando 78,6% do total em malha; 198.541 declarações, ou 19,2% do total em malha, com Imposto a Pagar (IAP) e 21.956, com saldo zero, representando 2,1% do total em malha.

Entre os principais motivos que fizeram cair na malha fina foram:

  • 41,9% - Omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual de titulares e dependentes declarados;
  • 28,6% - Deduções da base de cálculo, sendo as despesas médicas, o principal motivo de dedução;
  • 21,9% - Divergências no valor de IRRF entre o que consta em Dirf e o que foi declarado pela pessoa física, entre outros, a falta de informação do beneficiário em Dirf, e a divergência entre o valor informado na DIRPF e na Dirf.
  •  Os outros 7,6% são motivados por deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados, e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão e/ ou imposto complementar.

Segundo o supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda, o Auditor-Fiscal, José Carlos Fernandes da Fonseca, " os critérios de retenção em malha não são fixos, dependem de uma série de variáveis que se modificam com o tempo. Uma declaração que em um ano passaria pela malha, em outro exercício pode ficar retida. A comparação de valores declarados pelo contribuinte (usando ou não a pré-preenchida) e declarados por terceiros (dirf, dmed, dimob...) não é o único critério de retenção. A qualidade e confiabilidade dos dados apresentados são critérios que podem liberar ou reter uma declaração em malha."