Invest

Golpe da Shein é promovido por influenciadores nas redes sociais; veja como se proteger

Influenciadores promoveram um site falso que usa o nome da loja Shein e induz usuários a um golpe bancário

Shein: influenciadores afirmam que é possível ganhar dinheiro ao avaliar roupas da marca (Pavlo Gonchar/SOPA/Getty Images)

Shein: influenciadores afirmam que é possível ganhar dinheiro ao avaliar roupas da marca (Pavlo Gonchar/SOPA/Getty Images)

Karla Mamona
Karla Mamona

Editora de Finanças

Publicado em 17 de abril de 2023 às 13h01.

Em meio à discussão sobre a taxação de compras no exterior, a chinesa Shein alertou que criminosos estão utilizando o nome da empresa para promover um golpe. Este é promovido por meio dos influenciadores nas redes sociais.

O caso está sendo acompanhado pela Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor). Segundo a entidade, cerca de 10 influenciadores promoveram um site falso que usa o nome da loja Shein e induz usuários a um golpe bancário. Nas "publis", como são conhecidos os posts publicitários nas redes sociais, os influenciadores afirmam que é possível ganhar dinheiro ao avaliar roupas da marca.

Como funciona o golpe envolvendo a Shein?

Nos vídeos, os influenciadores dizem que um novo aplicativo seria uma estratégia das marcas para se recuperar de uma suposta crise causada por coleções que não tiveram bons resultados. Eles também causam uma sensação de urgência ao dizer que há poucas "vagas" disponíveis para o suposto app.

Mas não há nenhum aplicativo. O link divulgado leva para um site que induz usuários a pagarem uma taxa que supostamente dá direito aos pagamentos por avaliações e a informarem dados pessoais e bancários.

Dois sites aparecem nos vídeos: um é o Money Looks; o outro é o Segredo Dinheiro, também usando a marca Money Looks. Nenhum dos endereços é da Shein.

O que diz a Shein

Em nota, a Shein afirmou que não tem relação alguma com o site denominado "Money Looks", que tem como domínio o endereço segredodinheiro.fun/shein.

“Esse website está sendo enganosamente utilizado para propagar informações falsas sobre a companhia, com uso indevido do nome e imagem da empresa, com intenção de enganar usuários para que eles adquiram um aplicativo com falsa promessa de obtenção de uma renda extra por meio de avaliações de looks da marca.”

Cai no golpe. E, agora?

Adriano Fonseca, especialista em direito do consumidor da Proteste, orienta que as pessoas que caíram nesse golpe, o ideal é buscar uma delegacia e um advogado de confiança para tentar as responsabilizações, tanto contra o site quanto contra os influenciadores.

“É bom sempre lembrar que promessas de dinheiro ou retorno financeiro muito fácil normalmente são golpes. É fundamental duvidar dessas publicidades, já que, em caso de algum investimento financeiro da vítima, a recuperação dos valores é difícil.”

Acompanhe tudo sobre:SheinCrimecrimes-digitaisInfluenciadoresChinaProtesteConsumidoresdireito-do-consumidor

Mais de Invest

O que é private equity e como funciona?

Quanto rendem R$ 20 mil por mês na poupança?

CD americano x CDB brasileiro: quais as diferenças e qual vale mais a pena investir

Goldman Sachs vê cenário favorável para emergentes, mas deixa Brasil de fora de recomendações

Mais na Exame