• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

"Ficou mais complexo não se endividar", diz economista do Serasa Experian

Segundo o Serasa Experian, o índice de pagamento dos consumidores inadimplentes alcançou o menor percentual na história com apenas 41% das dívidas pagas em 30 dias
A quitação de dívidas se tornou uma tarefa mais complexa com o aumento da taxa Selic, segundo especialista (Getty Images/woolzian)
A quitação de dívidas se tornou uma tarefa mais complexa com o aumento da taxa Selic, segundo especialista (Getty Images/woolzian)
Por Fernanda BastosPublicado em 06/05/2022 11:25 | Última atualização em 06/05/2022 11:59Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O pagamento de dívidas de consumidores inadimplentes caiu em janeiro de 2022 e apenas 41% dos consumidores foram ressarcidos, enquanto o percentual do mesmo mês do ano passado estava em 58,8%. Os dados são apresentados em novo levantamento do Indicador de Recuperação de Crédito realizado pelo Serasa Experian, que apresenta índices econômicos.

Os 41% das dívidas pagas foram realizadas em até 60 dias a partir do mês de referência. E, apesar do percentual apresentar certa recuperação em agosto de 2021, o indicador continuou em queda até alcançar o marco histórico de pior performance do pagamento desde 2018.

A pesquisa também mostrou que, dentre os pagamentos realizados, os setores de bancos e cartões são os que se mantêm como os melhores em recuperação de crédito (48,0%). Já de campo de Securitizadoras e Telefonia apresentam os menores percentuais de dívidas negativadas pagas, com 2,7% e 8,9%.

Ainda de acordo com os dados do Serasa Experian, o que os analistas chamam de "idade das dívidas" é importante. Aquelas dívidas contraídas recentemente têm maiores chances de recuperação mais ágil. Já as que têm maior tempo de existência, apresentam o percentual de quitação menor.

Por exemplo, os compromissos vencidos há 30 dias têm percentual de recuperação de 59,1% — 42,9% das dívidas com 30 a 60 dias são quitadas, enquanto 26,2% das dívidas de 60 a 90 dias chegam a quitação.

Abaixo segue gráfico apresentado na pesquisa sobre o percentual de recuperação de crédito dos consumidores brasileiros:

“Muitas pessoas, principalmente de rendas menores, buscaram as linhas de crédito como uma forma de suprir suas necessidades e fechar as contas no final do mês. No entanto, também pelo aumento da taxa Selic, ficou mais complexo se apoiar no crédito e não se endividar. Dessa forma, se os consumidores brasileiros já encontram dificuldades para não caírem na inadimplência, quitar dívidas atrasadas e limpar o próprio nome ficou ainda mais complicado”, conclui Luiz Rabi, economista do Serasa Experian.