Enel vaza dados de 300 mil clientes em SP, incluindo CPF e dados bancários

Segundo a empresa, o ocorrido afetou cerca de 4% da base de clientes da companhia
Enel: companhia afirma que ainda “não é ainda possível concluir que o incidente tenha originado riscos significativos” (Enel/Divulgação)
Enel: companhia afirma que ainda “não é ainda possível concluir que o incidente tenha originado riscos significativos” (Enel/Divulgação)
M
Mariana Martucci

Publicado em 09/11/2020 às 19:02.

Última atualização em 10/11/2020 às 14:11.

A distribuidora de energia Enel São Paulo enviou uma notificação para quase 300 mil clientes alertando sobre um incidente envolvendo o vazamento de dados pessoais como nome completo, CPF, número da conta bancária, endereço e telefone. Segundo a empresa, o ocorrido afetou cerca de 4% da base de clientes da companhia, todos do município de Osasco (SP). 

Em nota, a empresa comunicou que tomou conhecimento de incidente e iniciou imediatamente um processo de verificação interna, além de ter comunicado o fato às autoridades. "Todos os clientes que tenham sido afetados estão sendo notificados direta e individualmente", afirmou em nota.

Segundo informações do portal Tecnoblog, os clientes tiveram os seguintes dados comprometidos:

  • nome
  • CPF
  • RG
  • data de nascimento
  • idade
  • endereço
  • telefone fixo
  • telefone celular
  • e-mail
  • agência bancária
  • conta corrente
  • carga instalada
  • consumo estimado
  • tipo de instalação
  • leitura

No email enviado aos clientes, a companhia afirma que ainda “não é ainda possível concluir que o incidente tenha originado riscos significativos”. Porém, a Enel reforça a importância do cliente ficar atento “a comunicações telefônicas ou eletrônicas de terceiros que solicitem seus dados pessoais e sigilosos (por exemplo, senhas)”.

 

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, sancionada em setembro pelo presidente Jair Bolsonaro, obriga as empresas a revelarem detalhes sobre possíveis vazamentos de dados envolvendo clientes. Com ela, os usuários têm direito de entrar em contato com as empresas para entenderem quais são as informações as quais elas têm acesso, com quem a empresa compartilha as informações e até mesmo pedir alterações dos dados que são compartilhados.

(EXAME Research/Exame)

Neste mês, a companhia divulgou o balanço do terceiro trimestre de 2020, registrando lucro líquido de 256 milhões de reais, queda de 53,1% em relação a igual período do ano passado, diante de impactos da pandemia de coronavírus. A empresa fechou o ano de 2020 com uma base de 7,4 milhões de clientes em 24 municípios da Grande São Paulo.