Educação financeira é matéria obrigatória neste colégio de São Paulo

Crianças que estudam no Dante Alighieri têm aulas semanais, produzindo cofres e trabalhando com moeda virtual, enquanto mais velhos planejam investimentos diversificados
Fachada do Dante Alighieri: assunto já era matéria eletiva desde 2016 (Divulgação/Divulgação)
Fachada do Dante Alighieri: assunto já era matéria eletiva desde 2016 (Divulgação/Divulgação)
Marília Almeida
Marília AlmeidaPublicado em 13/08/2022 às 10:00.

O colégio paulistano Dante Alighieri incluiu a educação financeira em toda a sua jornada educacional, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. A escola passou a oferecer neste ano uma matéria fixa de letramento financeiro dentro da grade curricular para os seus cerca de 4,5 mil alunos.

A abordagem está em sintonia com os pilares da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e aos objetivos de aprendizagem do PISA, que propõem educação integral e desenvolvimento pleno dos estudantes e se alinham à Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

A matéria fixa foi construída com a participação dos vários professores e apoiado na ciência comportamental, em análises matemáticas, sociais, econômicas, eco-ético-conscientes e pessoais dos estudantes. Assim eles podem utilizar as várias ferramentas para a tomada de decisões e viver o presente planejando o futuro, construindo seu projeto de vida pessoal.

Quer começar a investir? Abra sua conta gratuitamente no BTG Pactual

 Desde 2016 o colégio possui as disciplinas eletivas de “Planejamento Financeiro” e “Estratégias de Investimento”, em que os estudantes aprendem sobre renda fixa, renda variável, poupança, criptomoedas e outros; e “Introdução aos Estudos da Economia”, em que é trabalhado como uma empresa decide investir seu capital de giro, como é feito o cálculo de inflação, entre outros.

A nova matéria é resultado do avanço e reformulação deste programa, que também promoveu formação especializada para seus professores, voltada ao Letramento Financeiro. Mais do que ensinar a teoria, os alunos aprendem como a educação financeira pode impactar seus gastos futuros, como transportes, alimentação, e moradia, com a possibilidade de sair da casa dos pais.

“Trabalhamos tópicos como juros compostos, desconto à vista, pagamento em parcela, inflação e poder aquisitivo, em aulas interativas baseadas em questões reais, como a opção entre uso de transporte público ou compra de veículo próprio”, afirma o o coordenador de Matemática, professor Milton Sgambatti, responsável pelo tema no Ensino Fundamental 2 e no Ensino Médio.

Veja abaixo como o tema é abordado a cada ciclo:

Educação Infantil e Ensino Fundamental 1

Para as crianças, a consciência financeira é proposta através da metodologia Steam (Science, Technology, Engineering, Arts and Maths), que incorporou a letra S à sigla para agregar conhecimentos de Ciências Humanas. O conceito de Letramento Financeiro é um dos eixos do Steam-s.

Para Verônica Martins Cannatá, coordenadora de Tecnologia Educacional do Dante Alighieri e responsável pelo currículo de Steam-s, as crianças devem ser familiarizadas com letramento financeiro desde cedo.

No maternal já são desenvolvidas atividades pedagógicas, como a construção de um cofrinho com garrafa PET para ensinar noções de quantidade. “Depois de confeccionado, o cofrinho vai para casa e a criança deverá utilizá-lo para guardar moedas ou cédulas”, explica a coordenadora. “Cada família poderá abri-lo no momento que achar mais oportuno”.

A proposta da escola é esperar o cofrinho encher para uso do valor acumulado. “Dessa forma, a criança poderá poupar uma quantia, além de desenvolver valores como planejamento e o tempo/esforço necessário para atingir um objetivo, que é combinado previamente junto com o aluno”.

Do Jardim até o 4º ano do Ensino Fundamental 1 os alunos do período integral estudam Educação Financeira uma vez por semana.

Os estudantes do 4º ano realizam simulações do sistema monetário a partir da moeda fictícia Dante Coins, e no 5º ano simulam compras na papelaria virtual da escola, com auxílio de planilha eletrônica, o que os leva a entender o valor de cada item do material escolar e desenvolver novas habilidades, além de compreenderem princípios de comércio eletrônico.

Ensino Médio e Ensino Fundamental 2

Nestes ciclos, o curso reúne diferentes áreas do conhecimento, conceitos da área de humanas e de matemática.

Como na Educação Infantil, a aula de“Letramento e a educação financeira” também é semanal para alunos do 6º ano até a 1ª série do Ensino Médio. Em 2023 os estudantes da 2ª série do Ensino Médio também terão a matéria, e, em 2024, será a vez da 3ª do Médio.

O assunto já era tema das aulas para os alunos a partir do 6º ano do Ensino Fundamental 2 à 3ªs séries do ensino médio até que foi reformulado e inserido dentro das aulas de Matemática de forma alinhada aos objetivos de aprendizagem da BNCC e do PISA.

“Nosso objetivo é mostrar como funcionam os juros, multas, descontos, pagamentos à vista ou em parcelas, e assim integrar matemática ao dia-a-dia dos alunos, para que façam link com suas vidas, percebendo como as atividades cotidianas devem ser resolvidas com o olhar da educação financeira”, afirma Sgambatti.