É hora de investir em fundos imobiliários?

As dúvidas: que fatores influenciam o desempenho dos fundos? Se os preços dos imóveis caírem os fundos vão desvalorizar?

Dúvida do internauta: Tenho o interesse de investir em fundos imobiliários, porém não sei como analisar os fundos disponíveis e escolher em qual fundo aplicar. Gostaria de saber o que mais interfere nos rendimentos dos fundos imobiliários: economia nacional, internacional, valor dos aluguéis? Estamos em um momento em que os imóveis estão supervalorizados – se houver uma queda no valor dos imóveis, os fundos sofrem alguma desvalorização? Tenho quatias investidas em Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e ações. Onde seria interessante investir agora? (Décio)

Resposta de Arthur Vieira de Moraes*:

O que move os fundos imobiliários é a economia nacional. Enquanto houver expansão haverá investimentos, empresas crescendo e novas empresas se instalando no Brasil. Para desenvolver suas atividades precisarão de imóveis (escritórios, fábricas, centros de distribuição, lojas etc), principalmente nas grandes capitais.

Em épocas de recessão o movimento é contrário, umas empresas diminuem, outras encerram atividades e devolvem imóveis aos locadores.

Esses movimentos da economia também influenciam os aluguéis. Quando a demanda é grande, os preços dos aluguéis sobem, até que novos imóveis sejam construídos, equilibrando a relação entre oferta e procura.

Em tempos de crise a procura diminui, imóveis ficam vagos, o valor dos aluguéis cai.

Sobre uma eventual queda no preço dos imóveis, os fundos tenderiam a desvalorizar por dois motivos:

1 – O valor patrimonial dos fundos diminuiria.

2 – Os aluguéis tenderiam a ser reajustados para baixo, o que diminuiria o valor dos rendimentos distribuídos.

Mas note que a dinâmica de preços do mercado de imóveis corporativos não é igual à dos imóveis residenciais. Alguns fundos imobiliários exploram a incorporação de imóveis residenciais, mas a grande maioria investe em empreendimentos comercias de grande porte.

O senhor já possui renda fixa e ações. Fundos imobiliários podem ser uma alternativa para incrementar a diversificação do seu portfólio de investimentos. Sugiro que procure um profissional para embasar melhor a sua decisão.

*Arthur Vieira de Moraes é advogado, agente autônomo de investimentos e membro orientador do Instituto Nacional de Investidores (INI). Tem 34 anos e atua profissionalmente no mercado de capitais desde 1999.

Envie suas dúvidas sobre planejamento financeiro, crédito e investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.