'Dinheiro esquecido': nova fase é adiada com greve dos servidores

De acordo com o Banco Central, a greve dos servidores prejudicou o cronograma de desenvolvimento das melhorias do Sistema de Valores a Receber
Dinheiro esquecido: nova data será comunicada pelo Banco Central (Getty Images/RafaPress)
Dinheiro esquecido: nova data será comunicada pelo Banco Central (Getty Images/RafaPress)
Por Karla MamonaPublicado em 27/04/2022 14:33 | Última atualização em 27/04/2022 14:33Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A greve dos servidores do Banco Central atrasou a segunda fase do programa ‘Dinheiro Esquecido’, que teria início no dia 2 de maio. Nesta nova fase, o Sistema de Valores a Receber (SRV)permitiria que as novas consultas fossem realizadas.

De acordo com o BC, a greve prejudicou o cronograma de desenvolvimento das melhorias do Sistema de Valores a Receber. “O prazo de retorno do SVR, inicialmente previsto para 2 de maio, será adiado. A nova data será comunicada com a devida antecedência”, disse em nota.

A primeira fase do programa terminou no dia 16 de abril. De acordo com o BC, estavam disponíveis para devolução R$ 3,9 bilhões. 

Um último balanço divulgado pelo BC afirmou que até o dia 24 de março, 2.852.109 de pessoas físicas e jurídicas solicitaram resgate de seus valores a receber, totalizando R$ 245.809.474,96. Entre as pessoas físicas que pediram a devolução, 2.516.990 solicitaram transferência via Pix, totalizando R$ 205.099.139,18, enquanto 328.947 preferiram receber os dados de contato das instituições financeiras, somando R$ 34.370.940,12.

Entre as pessoas jurídicas, 5.113 solicitaram a devolução dos valores via Pix (R$ 5.012.975,84) e 1.059 receberam dados de contato (R$ 1.326.419,82).