Invest

Desenrola Brasil: cidadão ficará com nome limpo, mas terá que pagar dívida de R$ 100, diz Febraban

A Federação dos Bancos explicou que a dívida de até R$ 100 não será perdoada

Desenrola: programa começa na segunda-feira  (Gabriel Vergani / EyeEm/Getty Images)

Desenrola: programa começa na segunda-feira (Gabriel Vergani / EyeEm/Getty Images)

Karla Mamona
Karla Mamona

Editora de Finanças

Publicado em 14 de julho de 2023 às 11h44.

Última atualização em 19 de julho de 2023 às 19h16.

O programa de renegociação de dívidas do governo, Desenrola Brasil, começa na segunda-feira, 17. Quem tem dívida de até 100 reais sairá da lista dos negativos. A estimativa é que 1,5 milhão de brasileiros fiquem com o nome limpo.

A Federação dos Bancos (Febraban) explicou que a dívida não será perdoada, ou seja, as pessoas terão que pagar a dívida com as instituições bancárias. Segundo a entidade, a negativação da dívida de até esse valor será suspensa e o cidadão precisará renegociar este valor caso não consiga efetuar o pagamento de uma só vez.

No caso de não renegociar ou não pagar a renegociação, a negativação será feita novamente.“A suspensão da negativação ocorre a partir da adesão ao Programa, porém a dívida precisa ser paga.”

Crédito

Sobre a retomada ao crédito, a Febraban explicou quem aderir ao programa não terá acesso automático do crédito. É necessário que, a partir da renegociação das operações negativadas, o cidadão atualize seus dados junto ao banco que deseja obter crédito. O banco efetuará uma análise da documentação e decidirá se concederá ou não o crédito. Porém, não ter dívidas negativadas pode aumentar as chances de obtenção de crédito.

Sobre o Desenrola

O Programa Desenrola Brasil, voltada para renegociações de dívidas, começa na próxima segunda-feira, dia 17 de julho. Os bancos participam da iniciativa e cada instituição financeira definiu as condições que serão oferecidas.

As dívidas bancárias foram incluídas na faixa 2 do programa. Essa faixa inclui as dívidas bancárias dos clientes que tenham renda mensal superior a 2 salários-mínimos e menor que R$ 20 mil e que não estejam incluídos no Cadastro Único do Governo Federal. Serão beneficiadas dívidas contraídas entre 2019 e 31 de dezembro de 2022.

Como negociar as dívidas

A Federação dos Bancos (Febraban) informou que os interessados em renegociar as dívidas deve entrar em contato pelos canais oficiais de atendimento da sua instituição financeira (agências, internet ou aplicativo) para ter acesso às condições especiais de renegociação dessas dívidas.

As condições para renegociação das dívidas, nessa etapa, serão diferenciadas e caberá a cada instituição financeira, que aderir ao programa, defini-las. Segundo a Febraban, a negativação da dívida será suspensa após o cidadão aderir ao Programa. Mas é importante que ele fique atento: o não pagamento das parcelas renegociadas leva a uma nova negativação.

Acompanhe tudo sobre:DívidasDívidas pessoaisFebrabanDesenrolaLimpeza de nomeNome sujo

Mais de Invest

Cade abre procedimento para apurar acordo de codeshare da Azul e Gol

Quem ganha e quem perde no mercado no caso da vitória de Trump?

Eletrobras (ELET6): recompra de ações pode gerar ganho para os acionistas?

China estabelece fundo de investimentos em ativos de terra de empresas estatais de 30 bilhões yuans

Mais na Exame