BBB 22: como Arthur Aguiar deveria gastar o prêmio? Especialistas indicam

Campeão do Big Brother Brasil 22, Arthur Aguiar já tem planos para o prêmio conquistado; especialistas fazem indicações de como gastá-lo de forma consciente
Apesar do valor atrativo, o atual prêmio de R$ 1,5 milhão do Big Brother Brasil é considerado defasado monetariamente já há muitas edições (Reprodução/TV Globo)
Apesar do valor atrativo, o atual prêmio de R$ 1,5 milhão do Big Brother Brasil é considerado defasado monetariamente já há muitas edições (Reprodução/TV Globo)
Por Thais CancianPublicado em 28/04/2022 19:58 | Última atualização em 12/05/2022 16:41Tempo de Leitura: 6 min de leitura

O que você faria com um prêmio de R$ 1,5 milhão? É isso que muitos se perguntam quando pensam no reality show mais popular da Globo. O campeão do Big Brother Brasil 22 (BBB 22), Arthur Aguiar, já tem planos para o seu prêmio conquistado: o cantor e ator usará R$ 1,5 milhão para alcançar a tão sonhada independência financeira. Mas, para chegar lá, como o mais novo milionário deve administrar o dinheiro? Para especialistas, é recomendado que Arthur faça investimentos diversificados, compatíveis com o seu perfil e estilo de vida.

Além do prêmio propriamente dito, Arthur lucrou R$ 30 mil em provas e dinâmicas do programa, R$ 12 mil em compras de roupas de um dos patrocinadores, R$ 60 mil em aluguel de outro patrocinador e R$ 2 mil em delivery de uma terceira marca que anunciou na atração.

Investimentos: o que é indicado ao campeão do BBB 22

No caso de Aguiar, para investir de forma efetiva, não será preciso seguir as atuais tendências do mercado financeiro, como criptomoedas ou ações na Bolsa de Valores. Em entrevista para o Notícias da TV, do UOL, Felipe Guerra, sócio da Messem Investimentos, esclareceu que tudo dependerá de fatores ligados ao perfil de Aguiar, como seu estilo de vida e hábitos de consumo.

“Vejo que as pessoas fazem seus investimentos baseados no que está acontecendo no mercado, e não no seu perfil. Se você vier aqui e perguntar como investir esse R$ 1,5 milhão, a primeira coisa que vamos fazer é um ‘diagnóstico’ do cliente”, afirma Guerra. “Como é a sua vida? Mora sozinho ou com os pais? Sustenta você ou mais alguém? Tem dívidas? Qual é o seu conhecimento sobre investimentos? As características pessoais são muito mais importantes para determinar quais são os investimentos que você vai fazer do que o mercado em si”, defende o especialista.

Na visão de Guerra, Arthur vive um momento em que seu patrimônio ainda está em construção, o que o estimula a aplicar o prêmio em uma carteira moderada de investimentos.

“No padrão dos investidores moderados, eles ficam em uma faixa de 60% em renda fixa, 25% em fundos de investimento multimercado e 15% em renda variável, que pode ser dividida entre ações e fundos imobiliários, iniciativas complementares”, avalia o economista.

Uma aplicação diversificada, então, pode fazer grande diferença no valor dos rendimentos mensais que o vencedor do reality receberá.

Segundo simulação da corretora Ativa Investimentos, se o ganhador investir R$ 1,5 milhão em um CDB com vencimento em 2027, terá rendimento mensal de R$ 16.794,35 - levando em consideração a expectativa do CDI atual. Caso deixe esse dinheiro na poupança, o rendimento mensal cairia para R$ 7.500.

Se optar por aplicações de renda fixa com maior potencial de valorização e isentas do pagamento de Imposto de Renda, como as debêntures incentivadas, em cinco anos o ganhador poderá receber R$ 1,2 milhão. No mesmo período, caso deixe todo o dinheiro no Tesouro Selic 2027, sobre o qual incide Imposto de Renda, ganhará R$ 971,5 mil.

A defasagem do valor do prêmio

Apesar do valor atrativo, o atual prêmio de R$ 1,5 milhão do programa é considerado defasado monetariamente já há muitas edições. Isso significa que tamanha “bolada” não vale tanto quanto em 2010, por exemplo, quando o reality passou a pagar essa premiação.

De acordo com a Calculadora do Cidadão, ferramenta do Banco Central, o valor corrigido pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do prêmio do BBB de janeiro de 2010 até março de 2022 seria exatamente de R$ 3.139.569,30. Se Arthur Aguiar tivesse ganhado esse valor na premiação, seu poder de compra seria equivalente ao de Marcelo Dourado em 2010, quando ele venceu a 10ª edição.

O desafio de administrar tanto dinheiro

Com essa realidade em mãos, há quem diga que o ex-Rebelde enfrentará um desafio para administrar o dinheiro e corrigir o valor da premiação. No histórico dos vencedores do programa, muitos já contaram abertamente como não souberam gerir uma quantia tão elevada e acabaram gastando de forma inconsequente ou até “perdendo tudo”.

Na campanha Desendivida, por exemplo, veiculada pelo Santander pouco antes do início do BBB 22, Dhomini Ferreira e Max Porto contaram um pouco sobre os problemas financeiros que enfrentaram mesmo após vencer o reality. Nos anúncios, os campeões da 3ª e da 9ª edição, respectivamente, relembraram erros que levaram à perda dos seus prêmios em dinheiro.

Dhomini fez investimentos em terrenos, imóveis, tentou carreira musical e comprou até mesmo um posto de gasolina. Mas os negócios não prosperaram, e ele se afundou em prejuízos.

Fonte: Divulgação/YouTube

Já Max diz ter encarado o então prêmio de R$ 1 milhão como um “vale-sonho” e gastou todo o dinheiro no que gostaria de ter e viver, além de ter ajudado a sua família. Em 2020, durante um evento com operadoras financeiras, admitiu que se “endividou bem”.

Fonte: Divulgação/YouTube

Perfis variados: onde investir

Para um investidor iniciante, títulos do Tesouro Direto e CDBs podem gerar bons rendimentos sem que seja necessário abrir mão da segurança, indicam analistas da Ativa Investimentos.

para quem tem mais experiência, debêntures incentivadas são uma alternativa. São em geral indexadas ao IPCA e pagam adicionalmente uma taxa fixa.

Como o valor do prêmio do BBB é alto, a carteira de um investidor com perfil arrojado também pode incluir investimentos em renda variável, como fundos multimercado, ETFs e até ações.

“A fatia de cada tipo de aplicação na carteira dependerá, portanto, do perfil de risco e da necessidade de liquidez do ganhador”, conta Rodrigo Beresca, analista de soluções financeiras da corretora.

“Você tem que fazer seus investimentos de uma maneira com que se sinta confortável. Você tem que dormir, acordar e ter seus momentos de lazer enquanto seus investimentos trabalham por você”, aconselha Felipe Guerra, da Messem Investimentos.

Uma indicação bastante completa para quem tem interesse em investimentos e construção de patrimônio é o curso Construindo Riqueza, da EXAME Academy. A formação ensina como controlar as finanças pessoais e buscar as melhores rentabilidades na Bolsa de Valores, construindo riqueza de forma consistente com investimentos no mercado financeiro. É 100% online, não exige experiência prévia, inclui um grupo no Telegram com o mentor e os alunos, e também oferece um certificado de conclusão ao final.

O curso é ministrado por Jerson Zanlorenzi, analista responsável por ações e derivativos no BTG Pactual, o maior banco de investimentos da América Latina. Ao longo das aulas, o aluno aprenderá tudo que é preciso sobre finanças, desde organizar a sua receita e despesas, até como investir na Bolsa de Valores e traçar estratégias para construir uma renda passiva - isto é, que gera dividendos valiosos, dinheiro caindo em conta todo mês por conta dos investimentos realizados.

Construindo Riqueza: aprenda a fazer a sua renda mensal dobrar e construa um patrimônio de forma inteligente e consistente