Varejistas lideram quedas na bolsa em dia de Black Friday

Magazine Luiza e Via recuam quase 5% pressionadas pela perspectiva negativa para os juros
Centro de distribuição do Magazine Luiza (MGLU3): ações da varejista ficam na lanterna do Ibovespa na Black Friday (Leandro Fonseca/Exame)
Centro de distribuição do Magazine Luiza (MGLU3): ações da varejista ficam na lanterna do Ibovespa na Black Friday (Leandro Fonseca/Exame)
Beatriz Quesada
Beatriz QuesadaPublicado em 25/11/2022 às 12:25.

As ações das varejistas lideram as quedas do Ibovespa nesta sexta-feira, 25, mesmo em dia de Black Friday. A data é considerada uma das mais importantes para o varejo, e a expectativa era de que a Black Friday poderia gerar um volume de vendas maior que em 2021, impulsionando os resultados das empresas. 

Ainda assim, os papéis das principais varejistas ficam na lanterna do Ibovespa. Segundo analistas, a razão está na perspectiva atual sobre os juros futuros, que está pressionando os ativos em bolsa.

  • Magazine Luiza (MGLU3): - 4,72%
  • Via (VIIA3): - 4,60%
  • Americanas (AMER3): - 1,25%

“O mercado já esperava um 2023 com gastos excepcionais do governo, entretanto, não se projetava que o governo eleito faria pressão para assegurar os recursos dos programas sociais totalmente fora do teto por período maior do que um ano”, avalia Luis Novaes, analista da corretora Terra Investimentos.

Novaes se refere à PEC da Transição, pela qual o governo eleito pretende deixar o Bolsa Família fora do Teto de Gastos, principal âncora fiscal do País. O gasto extra teto deve ficar em torno de R$ 200 bilhões, e a principal preocupação é a falta de prazo para a medida, que pode durar os quatro anos da administração Lula.

Leia também: PEC apresentada pelo governo eleito é o pior cenário fiscal possível, diz BNP

“Assim, os investidores passaram a estimar juros maiores nos próximos meses, refletindo as incertezas sobre a estabilidade fiscal do país. Como os juros têm um grande impacto nas já restritas margens dos varejistas, os investidores decidem se desfazer das posições”, diz.

As ações têm sofrido com volatilidade desde que a proposta foi apresentada. Na véspera, com alívio no cenário político, os papéis tiveram fortes ganhos. Hoje, as ações passam por realização. Um exemplo vem da Americanas: o papel disparou 11% na véspera, hoje recua quase 2%.